“Volta às aulas, só com vacinação para todos em Araraquara”

Movimentos sindicais farão carreata no dia 1º de fevereiro em Araraquara contra a volta às aulas e pelo Fora Bolsonaro!

167

No último dia 18 de janeiro, um grupo de dirigentes sindicais e militantes das centrais sindicais CUT-Central Única dos Trabalhadores e CSP-Conlutas-Central Sindical e Popular, integrantes do Fórum de Sindicatos de Araraquara e Região, como vinham fazendo há vários meses, se reuniu com o prefeito Edinho Silva (PT), e com as secretárias municipais da educação e saúde, Clélia Mara Santos e Eliana Honain, para discutir algumas iniciativas do governo Edinho em relação à pandemia do Covid-19.

De acordo com o presidente do CSP-Conlutas, Walter Miranda, na verdade, a intenção seria dialogar sobre a defesa da vida e da vacina contra o covid-19 para todos. “Discutirmos cobramos a mudança do Decreto 12.433/2020, onde o prefeito Edinho (PT), entre outras medidas, determinou a abertura das 60 unidades escolares municipais no próximo dia 8 de fevereiro. O prefeito Edinho, sendo do PT, desrespeitou deliberação do próprio partido e da CUT, com a volta das aulas presenciais sem vacina para todos, e não respeitando as decisões e reivindicações das centrais sindicais e sindicatos, dentre eles a CUT-Central Única dos Trabalhadores e a CSP Conlutas-Central Sindical e Popular, que defendem a retomada das aulas presenciais somente após termos a vacinação de toda população”, declarou o sindicalista.

Volta às aulas

De acordo com a Secretaria de Educação, o retorno às aulas em Araraquara, marcado para o dia 8 de fevereiro, será parcial e não obrigatório, ou seja, os pais, mães e responsáveis dos alunos considerados público-alvo prioritário poderão escolher se os alunos voltarão para as unidades escolares ou continuarão com as aulas remotas. Além disso, só será permitida a presença máxima de até 35% do número de alunos matriculados em cada sala de aula.

Absurdo

“Achamos um absurdo o prefeito justificar a abertura das unidades escolares dizendo: a) que a volta às aulas presenciais é em defesa da vida dos pobres, cujas mulheres precisam trabalhar: b) que as mulheres da periferia não tem babá; c) que quer evitar crianças cuidando de crianças; d) que está preocupado com o atraso na formação educacional do pessoal da periferia, visto que eles não condições de ter internet; d) que o pessoal da periferia não tem organização familiar e que é importante estarem na escola; e) que os alunos, mesmo fora das Escolas, continuam se aglomerando. É preciso relembrar que o prefeito Edinho, antes da eleição, numa entrevista disse: ­- Ainda existe um risco grande de transmissão da doença e as crianças muitas vezes assintomáticas, são vetores importantes na transmissão da doença -. Não entendemos o que o fez o prefeito do PT mudar de opinião. Ele disse que a esquerda perdeu o rumo. Pensamos que quem perdeu o rumo é o prefeito, não se diferenciando do governador Dória e Bolsonaro. Perguntamos a quantidade de doses de vacinas que Araraquara receberá. A secretária de Saúde informou que serão 4.080 doses, o que é claramente insuficiente para iniciar a imunização dos trabalhadores da saúde e população idosa, aproximadamente 15 mil na cidade. O incrível é que o prefeito petista convidou o governador Dória para estar presente na primeira vacinação no maior bairro da periferia da cidade, para acompanhar a primeira votação. Assim, no dia 21/01 o Dória foi recebido com festa, televisão, rádio, etc…, e um aparato policial pesado para impedir manifestações, não faltando discurso eleitoreiro rumo a 2022.

No mês de setembro, após participar de uma reunião com prefeitos da região, o Edinho disse: “Ainda existe um risco grande de transmissão da doença e as crianças muitas vezes assintomáticas, são vetores importantes na transmissão da doença”. O que mudou? Será que os riscos de contaminação desapareceram? Pensamos que não, ao contrário, aumentou.

Na verdade, a gente esperava o bom senso do prefeito Edinho, apoiando e assumindo a nossa luta, mas infelizmente preferiu se aliar a Dória e, talvez, costurar acordo com os deputados Baleia Rossi e Rodrigo Maia, objetivando assumir cargos na Câmara dos Deputados e no Senado”, declarou o sindicalista.

Carreata

Na próxima segunda-feira, 1 de fevereiro, será realizanda uma carreata, com concentração às 15h30 na Praça Scalamandré Sobrinho, em frente a Arena da Fonte. As reivindicações do ato são: Escolas fechadas até que se tenha vacina para todos! Vacinação gratuita para todos, já! Retorno do Auxílio Emergencial para os trabalhadores desempregados! Redução dos preços dos alimentos! Fora Bolsonaro!