Vigilância retira 360 toneladas de materiais inaproveitáveis no ano

A denúncia de descarte irregular pode ser feita aos órgãos oficiais pelo telefone 0800 770 1595

23

A força-tarefa da Vigilância em Saúde, composta pelos agentes de controle de endemias, apoiadores do combate à dengue, aplicadores de inseticidas e fiscais retiraram, desde o início do ano até este final de julho, 360 toneladas de materiais inaproveitáveis dos bairros de Araraquara.

Ainda nesta quarta-feira (28), mesmo com as mudanças climáticas – temperatura baixa e chuva -, os agentes limparam uma residência no Jardim das Estações que tinha lixo doméstico acumulado e prejudicava os vizinhos.

Mesmo com dez Pontos de Entregas de Entulhos e Volumosos (PEVs), os bolsões do Daae, em diversos bairros, e a coleta regular de lixo doméstico em toda a cidade, o descarte irregular de materiais inaproveitáveis ainda ocorre e prejudica a qualidade de vida dos moradores dos bairros mais distantes do Centro.

Outro fato preocupante, além dos 277 confirmados de dengue neste ano, é a identificações dos vírus DENV1 e DENV2, tipo 1 e tipo 2, na cidade.

“A Vigilância desenvolve um trabalho intenso no combate à dengue, Zika e chikungunya e nós solicitamos a colaboração da população na limpeza de quintais e terrenos e cuidados com objetos que possam acumular água”, reforça o coordenador da Vigilância em Saúde, Rodrigo Ramos.

O bloqueio casa a casa aos criadouros do mosquito Aedes aegypti, a retirada de materiais inaproveitáveis e a nebulização com inseticida são as ações constantes da Vigilância, mas “a contribuição diária dos moradores é fundamental para evitar a proliferação do Aedes”, reforça Rodrigo Ramos.

Fauna sinantrópica

O apoio dos agentes do Centro de Controle da Fauna Sinantrópica à força-tarefa da Vigilância é outro ponto positivo para se evitar a proliferação dos animais peçonhentos, aranhas e escorpiões.

A integração entre os agentes facilita a identificação de esconderijos de escorpiões e aranhas. Também as orientações sobre a prevenção nas residências com instalações de redes em ralos e saídas de caixa d’água, ajustes em sifões e se evitar o acúmulo de materiais de construções em quintais e calçadas, são dicas importantes expostas pelos agentes de controle de endemias aos moradores durante as vistorias de rotina.

Denúncia

O descarte irregular de lixo, resíduos sólidos, volumosos (sofás, poltronas e colchões) e queimadas em área urbana e rural causam danos à saúde e ao meio ambiente.

A denúncia aos órgãos oficiais pode ser proposta pelo telefone 0800 770 1595.