Vereadora Felipa Brunelli repudia ataques sofridos em redes sociais

A vereadora do PT foi atacada pela internet depois de se manifestar contra os protestos realizados em Araraquara, no último domingo (14)

212

Nota de Repúdio aos ataques transfóbicos sofridos pela Vereadora Filipa Brunelli (Araraquara-SP) em 14/03/2021.

Viemos a público repudiar os comentários transfóbicos e ameaças direcionados a vereadora Filipa Brunelli (PT).

Após denunciar o teor antidemocrático e criminoso da manifestação realizada em frente ao Tiro de Guerra em Araraquara-SP, no domingo (14), onde manifestantes pediam intervenção militar e fechamento do STF, a vereadora sofreu ataques transfóbicos e ameaças no Facebook.

A cidade de Araraquara enfrenta desde o final de fevereiro um colapso no sistema de saúde, com ocupação máxima dos leitos de UTI e enfermaria, culminando na pior fase de toda a pandemia em nossa cidade e os manifestantes estavam aglomerados, defendendo a volta da ditadura militar. A apologia à ditadura militar é crime, previsto na Lei de Segurança Nacional (Lei 7.170/83), na Lei dos Crimes de Responsabilidade (Lei 1.079/50) e no próprio Código Penal (artigo 287).

Tal atitude, incentivada pelos apoiadores de Bolsonaro, é uma clara consequência dos tempos de opressão e obscurantismo vividos pelo Brasil governado pelo facismo e pela extrema direita, que corrobora para que manifestações antidemocraticas aconteçam, além de transformar as redes sociais em um picadeiro para a dialética da intolerância.

Filipa Brunelli sofreu ameaças colocando em risco sua integridade física, além de ter sua identidade de gênero questionada e sua identidade travesti usada a título de deboche e desqualificação da mesma.

Queremos reiterar todo apoio às denúncias de transfobia denunciadas pela vereadora Filipa Brunelli, é inadimissível que situações como essa continuem acontecendo sem ter seus responsáveis identificados e punidos.

Assinam essa nota:

– Deputada Estadual Marcia Lia PT

– Deputada Estadual Prof. Bebel PT

– Deputada Estadual Erika Malunguinho PSOL

– Deputado Estadual Dr. Jorge do Carmo – PT

– Codeputada Carolina Iara – Bancada Feminista PSOL/SP

– Deputado Federal Nilto Tatto PT

– Deputado Federal Vicentinho PT

– Vereadora Isabelly PT/Limeira

РVereadora Erika Hilton PSOL/Ṣo Paulo

– Vereadora Fernanda Curti PT/Guarulhos

– Bancada de vereadores do PT/Araraquara

– Coletivo MaisPlural Araraquara

РQuilombo Perif̩rico

– Rede Família Stronger

– Núcleo de Transmasculinidades da Rede Família Stronger

– Neon Cunha – ativista independente

– Coletivo Saia Debaixo (EACH-USP)

– Coletivo Lutas Negrxs

РUnịo da Juventude Brasileira

– Iris Nogueira – Conselheira de Políticas para Mulheres da cidade de São Paulo (CMPM)

– Lucycleide Ana da Silva – Conselheira Estadual de Juventude

РA Revolta da L̢mpada

РONG Primavera de Serṭozinho

– Coletivo Florescer de Bebedouro

– Ronaldo Pires Movimento LGBTQIA+ de Votorantim

РColetivo BixaNag̫

– Centro de Apoio e Solidariedade a Vida

– ONG Casvi

– Fórum Paulista LGBT

– Conselho Municipal de Políticas para LGBT de Piracicaba

– Coletivo LGBT da CUT – SP

– Artgay

– Consulado das Familias LGBTI+

– Ong Para Todos – Itaquaquecetuba

– TransEmpregos

– MPJ

– Secretaria municipal LGBTQIA+ do PT- Araraquara

– Diretório Municipal do PT de Araraquara

– Rede Gay Brasil

– Secretaria Estadual LGBT do PT/SP

-Grupo de Trabalho Arte e Cultura – GTAC

РAssocia̤̣o Brasileira de L̩sbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intetsexos (ABLGBTI)

– Casa Neon Cunha