Turquinho quer novas lideranças políticas para as próximas eleições

Depois de 16 anos fora da política-eleitoral, Anuar Lauar deve concorrer a deputado Estadual ou Federal em 2022, mas projeto principal é ser candidato a prefeito em 2024

511

Anuar de Oliveira Lauar está de volta ao cenário político araraquarense e quer estar entre as novas lideranças que serão formadas para as próximas eleições. Turquinho, como é mais conhecido, deixou a vida político-partidária há 16 anos para cuidar de sua vida pessoal e profissional, mas acha que agora é a hora de voltar para a vida pública e participar mais ativamente dos atos e fatos do dia a dia. Ele foi vereador entre os anos de 2001 e 2004 pelo PP, mas depois se filiou ao PPS, antigo partido do ex-prefeito Waldemar De Santi.

O ex-vereador, que agora se dedica a área de engenharia, acha que Araraquara precisa de novas lideranças políticas para voltar a ter representatividade tanto na esfera estadual como na federal. Ele falou à reportagem do O Imparcial sobre seus planos para as próximas eleições e sobre o que o motivou a querer voltar à vida político-partidária.

Veja a entrevista na íntegra:

O Imparcial: Fale um pouco sobre sua trajetória política. Quais foram seus principais projetos e suas principais conquistas na Câmara Municipal?

Turquinho: “Sempre fui muito ligado à política. Sempre gostei. Ainda garoto, sabia o nome de alguns governadores, prefeitos, ministros, acompanhava tudo. Quando minha irmã Silmara passou num concurso público para a Assembleia Legislativa de São Paulo, fiquei ainda mais interessado (em política). Por intermédio dela acabei ficando amigo de muitos Deputados Estaduais. Alguns anos depois, meu pai (Dr. Anuar Mahmud Lauar) foi convidado pelo saudoso Prefeito Dr. Waldemar De Santi para compor sua chapa como Vice-Prefeito. Venceram duas eleições e, nas duas ocasiões, meu pai além de Vice-Prefeito assumiu também a Secretaria Municipal de Saúde. Fiquei fascinado com o trabalho da dupla. Duas lendas da política local: De Santi e Dr. Anuar. Aqueles dois nos deram tantos bons exemplos de honestidade e comprometimento com o bem estar a população, que me motivaram a disputar uma vaga à Câmara Municipal. Acabei me elegendo Vereador no ano de 2000, pelo PP. Durante meu mandato (entre os anos de 2001 e 2004), acabei me filiando ao PPS. Quem acompanhou meu trabalho como Parlamentar certamente dirá que fui um Vereador extremamente combativo! Exerci plenamente minhas funções: fiscalizar o Executivo e legislar.

Em 2008, fui um dos coordenadores da campanha vitoriosa do Ex-Prefeito Marcelo Barbieri. Em 2009, assumi a função de Chefe de Gabinete em seu governo, ficando no cargo até o final de 2010.

Projetos:

Tenho muito orgulho da minha atuação como Vereador. Meu histórico fala por si. Dentre os muitos Projetos de Lei, Resoluções, Requerimentos e etc,  que aprovei na Câmara Municipal, destaco o projeto que exigiu a transparência e divulgação dos gastos públicos com campanhas publicitárias. Em nível nacional, havia à época muitas “sombras” sobre o tema, por conta de um modus operandi promíscuo e criminoso que se valeu de agências de publicidade, culminando num dos maiores escândalos de corrupção da história deste país, em plena gestão do PT. Inclusive, muitos acreditam que esta prática foi disseminada e aplicada em muitos municípios país afora. Outros importantes projetos de minha autoria foram: a criação do Conselho de Ética na Câmara, e a Semana da Doação de Sangue. Ao longo do meu mandato, tive a oportunidade de promover palestras educativas sobre a importância da doação de sangue para a população, com a fundamental ajuda do meu amigo médico Dr. Reinaldo Bonfá. Criei a Lei que dos parquímetros, que regulamentou e disciplinou o estacionamento no centro da cidade. Sou também o autor do projeto que criou a Semana Maçônica e o Dia da Maçonaria. Enfim, minha equipe e eu fizemos um grande trabalho!”.

O Imparcial: Por que você resolveu se afastar da vida política?

Turquinho: “Como disse, no início de 2009 assumi a chefia de gabinete do governo, um cargo de extrema responsabilidade que toma um tempo enorme da gente. Chegava a trabalhar 16, 17 horas por dia! Mesmo assim, apesar do esforço, percebi que não estava conseguindo conciliar tal função com minhas outras atividades pessoais. Daí, tomei o que considero uma das mais importantes decisões da minha vida: deixar o governo (ao final de 2010) para me dedicar exclusivamente à minha família e à minha carreira profissional como Engenheiro de Minas e Bacharel em Direito”.

O Imparcial: Quais motivos te fazem querer voltar à política? Qual é a sua maior motivação?

Turquinho: “Em todos os anos de eleição, sempre sou lembrado e/ou procurado por pessoas e partidos políticos que gostariam de me ver voltar a disputar um cargo eletivo. Confesso que, desde que me afastei da vida pública em 2010, no fundo essa também era minha vontade.

Tanto é que sempre deixei claro a todos que meu afastamento seria temporário, só não sabia dizer por quanto tempo. Dezesseis anos se passaram. Aproveitei-os para cuidar da minha vida pessoal, consolidar vida profissional e estruturar minha empresa de consultoria ambiental. Amadureci, e hoje me sinto preparado e seguro para esta volta. Vivo o melhor momento para este retorno. Mas, que fique bem que claro: estou voltando porque quero, e não porque preciso. Não dependo da política para viver!  Em 2022 e 2024, inevitavelmente vamos passar por um momento de renovação na política local. Novas lideranças vão surgir! Isto acontecerá naturalmente! Quero e vou fazer parte desta mudança. Eu estou me preparando para quem sabe vir a disputar as eleições em 2022 e/ou 2024. Quero ser um agente político diferente, influenciar positivamente na vida das pessoas. Esta é minha maior motivação! Araraquara precisa ter novas opções, novos nomes, novas lideranças que nos representem na Assembleia Estadual, no Congresso Nacional, na Prefeitura. Há espaço para isso! Não podemos deixar passar esta rara oportunidade!”.

O Imparcial: Você está filiado a algum partido? Já existe alguma indicação sobre sua candidatura?

Turquinho: “Não, não estou afiliado a nenhum partido político, e considero isto algo extremamente importante neste momento. Me manter assim por um período fará com que eu tenha a autonomia necessária para seguir com meu projeto. Por outro lado, não tenho a menor dúvida que, sem um grupo forte, representativo e qualificado, politicamente não se chega a lugar nenhum! Já estamos cuidando disso, e as perspectivas são as melhores possíveis! Tenho me encontrado (sempre com máscara e mantendo o distanciamento) com muita gente boa. Frequentemente recebo convites de diversas legendas partidárias para um bate papo. Acredito que esta definição deverá ocorrer mais para o final deste ano ou no começo de 2022. Buscamos alinhamento com pessoas e partidos que se identificam com a nossa linha de pensamento, com o nosso perfil, com a nossa forma de agir, de fazer política com ponderação, equilíbrio e bom senso. E, de acordo com minhas convicções e princípios éticos, com o PT não tem conversa! Com eles, não tem papo. Ponto final!”.

O Imparcial: Você já decidiu para qual cargo deve se candidatar? Em 2022 ou 2024?

Turquinho: “Está havendo uma tremenda aceitação ao projeto que lançamos há pouco mais de duas semanas! Obviamente, isto me deixa muito orgulhoso e aumenta significativamente minha responsabilidade para com aqueles que manifestaram aberta e espontaneamente seu apoio. Estou super tranquilo, com os “pés no chão”! Humildade, é um de meus princípios fundamentais. Estejam certos que farei por merecer este carinho e aprovação. Isto posto, existe sim a possibilidade d’eu me lançar candidato a Deputado Estadual ou Federal em 2022, e até mesmo vir a ser candidato à Prefeito em 2024. Mas, calma! Sem atropelos! Vamos deixar os acontecimentos seguirem seu curso. Temos muito pela frente”.

O Imparcial: Você acredita que Araraquara voltará a crescer e recuperar sua economia depois que toda a população for vacinada contra o Coronavírus?

Turquinho: “Tocamos num ponto de extrema relevância! Antes de mais nada, deixo aqui minha palavra de solidariedade e profundo pesar pela morte de mais de 415 mil pessoas no Brasil, e milhões pelo mundo afora! Meus sinceros sentimentos a todas as famílias que perderam seus entes queridos. Dito isto, eu não tenho dúvidas que a vacinação em massa é fundamental pra que esta roda chamada “Brasil” (e Araraquara faz parte dela) volte a girar em ritmo acelerado. Sendo assim, quando chegar sua vez, espero que todos tomem a vacina contra esta maldita COVID-19.

Pelo amor de Deus, chega de mortes, e chega deste “abre e fecha”! Ninguém suporta mais! Esta conta está ficando impagável! Nossas crianças e adolescentes vão pagar um preço alto demais lá na frente, sem um ensino adequado há mais de um ano! Vacinação em massa já!”.

O Imparcial: Como você avalia a atuação do Executivo e do Legislativo araraquarense no combate à pandemia?

Turquinho: “Sou engenheiro de minas e formado em direito, portanto, não tenho conhecimento ou formação acadêmica para falar com propriedade sobre este vírus ou a pandemia em si. Não seria correto nem prudente me aprofundar neste, ou em qualquer outro tema que eu não domine. Porém, como cidadão, tenho minhas convicções pessoais a respeito da conduta adotada pelos governantes em nível federal, estadual e municipal. É fato que a ampla maioria procurou seguir recomendações de especialistas (da ciência), o que considero a forma correta de agir. É o que eu faria se estivesse por exemplo no comando do Executivo municipal. Entretanto, permita-me citar dois momentos distintos ocorridos em Araraquara que nos projetaram na mídia nacional e mundial: a prisão daquela cidadã em praça pública e o lockdown decretado pelo atual prefeito no mês de fevereiro/2021. Condeno veementemente o primeiro episódio, e reconheço com ressalvas a necessidade (naquele momento) de se adotar o segundo. Justifico minhas ressalvas, dizendo que faltou planejamento, mesmo que muitos venham me dizer que isto se deu por falta de conhecimento.

Ocorre que, na minha forma de enxergar as coisas, a falta de conhecimento nos obriga mais ainda a intensificar o planejamento! Se lá atrás, em março/2020, quando a situação inexoravelmente caminhava para o caos, penso que nossos governantes deveriam ter investido os milhões de reais que receberam do governo federal em testagem em massa, a fim de identificar “nichos de contaminação”. Ao invés disso, dentre outras coisas, optaram por gastar os tais milhões na montagem de hospitais de campanha quando ainda não havia demanda para tanto. E pior: muitos adotaram o método da “tentativa e erro”, que provavelmente custou a vida de milhares de brasileiros, e certamente arrasou com a economia do país! Sem falar na corrupção, no desvio e roubalheira desvairada promovida por governantes inescrupulosos! Enfim, respeitando as demais, na minha humilde opinião, faltou planejamento! No caso do Legislativo em geral, penso que faltou atitude de grande parte de Vereadores e Deputados em pressionar e cobrar resultados de Prefeitos e Governadores (nomeados pelo STF os detentores do direito de agir!)”.

O Imparcial: Caso volte a ocupar um cargo público, como pretende agir no sentido de melhorar a vida do araraquarense?

Turquinho: “Penso que todo aquele que ocupa um cargo público deve agir com serenidade, bom senso, equilíbrio e ponderação, seja no Legislativo ou no executivo, já que cada função tem suas peculiaridades e contornos específicos. Caso eu venha a ocupar um cargo no Legislativo (Estadual ou Federal), darei total suporte ao Prefeito junto ao governo estadual ou federal, para que ele tenha totais condições de implementar projetos sociais, de emprego e renda em prol da coletividade. Apoio político resulta em ajuda… e ajuda resulta em conquistas, tais como novas empresas que, por consequência, trazem consigo novos postos de trabalho. No caso da população de Araraquara venha a me escolher seu próximo Prefeito, há que se implementar um plano de metas (eis aqui novamente o tal planejamento!). Tenho muita cautela ao tratar deste assunto, porque já li muitos planos de governo (que inclusive chegaram a ser registrados em cartório) que jamais saíram do papel. Portanto, muito cuidado com salvadores da pátria e seus planos de governo milagrosos! A história já nos mostrou que, quando em campanha, prefeitos, governadores e presidentes têm a solução para todos os nossos problemas, mas quando se sentam em suas respectivas cadeiras, pouco ou nada fazem”.

O Imparcial: O que a população de Araraquara pode esperar de você, na política?

Turquinho: “Me agrada muito responder esta pergunta, pois a melhor resposta a ela é: meu passado e o passado de meus familiares como agentes públicos e cidadãos são o maior exemplo do que a população de Araraquara pode esperar de mim”, finalizou.