Testagem de Covid-19 em Araraquara tem o dobro do índice nacional

Medida é fundamental para o diagnóstico rápido de contaminados e o controle da pandemia; são 25,4 mil testes feitos a cada 100 mil habitantes

78

O índice de testagem de Covid-19 em Araraquara é o dobro do registrado em todo o Brasil, segundo dados da Vigilância em Saúde e do “Worldometer”, site de estatísticas em tempo real. A ampla testagem é um dos principais instrumentos de combate à pandemia do novo coronavírus.

No município, desde o início da pandemia, são 60.651 testes realizados, sendo 37.884 de RT-PCR (que detectam o vírus ativo) e 22.767 de testes sorológicos (que apontam a presença de anticorpos, ou seja, se a pessoa já contraiu a doença). O total gera um índice de 25.447 testes por 100 mil habitantes na cidade.

O valor de Araraquara é praticamente o dobro do nacional, de 13.403/100 mil habitantes, e também está acima de países reconhecidos internacionalmente no combate à pandemia, como a Coreia do Sul (10.021/100 mil habitantes) e o Uruguai (21.766/100 mil habitantes). Em São Paulo, o índice fica em 17.756/100 mil habitantes, segundo dados do Governo do Estado.

Desde o início da pandemia, Araraquara tem se destacado pela ampla capacidade de testagem e de isolamento de pacientes positivados. Isso inclui a parceria com a Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Unesp (Universidade Estadual Paulista) na testagem RT-PCR e com a Uniara (Universidade de Araraquara) para os testes sorológicos.

Os testes de RT-PCR são feitos nos pacientes sintomáticos que procuram a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Vila Xavier, o grande polo de triagem de casos suspeitos de coronavírus no município.

Já os exames sorológicos podem ser feitos por pessoas assintomáticas em diversos locais: no Terminal Central de Integração, na Praça Santa Cruz e em seis postos de saúde (Cecap, Yolanda Ópice, Selmi Dei I, Vila Xavier, Jardim América e Santa Angelina), das 7h às 8h30, de segunda a sexta-feira.

Desde o início de novembro, a testagem em Araraquara ultrapassa a marca de 1 mil testes feitos por semana. Na semana passada, por exemplo, foram 1.597 diagnósticos, sendo 432 positivos e 1.165 negativos.

“A testagem ampla permite que o diagnóstico seja feito mais rapidamente e a disseminação do vírus seja combatida de forma mais eficaz, com o isolamento e o acompanhamento de todos os pacientes que foram positivados. Nossas parcerias com a Unesp e a Uniara estão sendo fundamentais na luta contra a pandemia”, afirma a secretária municipal de Saúde, Eliana Honain.

Esse trabalho reflete na letalidade da doença. Em Araraquara, esse índice é de 1,06%, com 101 óbitos em 9.641 casos confirmados. É uma das menores letalidades entre as cidades de médio e grande porte do Estado. A letalidade em São Paulo é de 3,06% e, no Brasil, é de 2,46%.

Medidas de prevenção continuam
A Secretaria Municipal de Saúde ainda aguarda uma previsão de chegada das primeiras doses da vacina contra Covid-19. O plano municipal de imunização seguirá as diretrizes dos planos nacional e estadual.

Os primeiros a serem vacinados serão os trabalhadores de serviços de saúde que atuam na linha de frente de combate à Covid-19, como hospitais e UPAs, e a aplicação ocorrerá nos próprios locais de trabalho.

Oportunamente, os demais grupos prioritários também serão informados sobre datas, locais e horários de vacinação.

A campanha de vacinação contra Covid-19 não tem prazo para terminar. Portanto, o incentivo às medidas individuais de higiene (limpeza frequente das mãos, uso de máscaras e o distanciamento social), somado à ampla testagem com isolamento dos pacientes positivados, continua sendo a principal forma de prevenção e controle da Covid-19 no município.