Táticas de combate urbano e informações sobre operações especiais e combate às facções criminosas marcam maratona de atualização profissional

World Combat Conference (W2C) reuniu durante quatro dias de programação na BASE Armalite, em Itu (SP), 1,6 mil participantes em uma maratona com 42 clínicas práticas e sete palestras de referência internacional

21

Uma verdadeira maratona de atualização policial, troca de experiências e clínicas práticas de combate urbano. Esse foi o resultado do World Combat Conference (W2C), evento que reuniu mais de 1,6 mil operadores de todo o Brasil ao longo de quatro dias de programação na BASE Armalite, em Itu (SP). Práticas avançadas de manuseio de armas, técnicas de combate urbano, suporte tático para operações especiais, prática de tiro em situações de estresse e combate veicular estiveram na programação nas 42 clínicas práticas que ocorreram ao longo do evento.

“O W2C se consolida como um dos principais eventos de combate urbano do país e uma referência para os profissionais da segurança pública. É uma responsabilidade e uma honra muito grande reunir nomes tão relevantes do setor”, afirma João Sansone, idealizador do evento. O próximo passo, agora, é iniciar o planejamento da terceira edição do encontro, prevista para 2022.

Entre as clínicas práticas, o coronel Péricles de Matos concedeu treinamento sobre Proteção Balística para Grupos Táticos. Além de uma clínica de conscientização sobre o uso de colete à prova de balas e escudo, os participantes seguiram para um treinamento em uma pista de close-quarters battle, com deslocamento utilizando arma de fogo e escudo em uma situação hipotética. O instrutor comentou a relevância do W2C para a atualização dos militares e policiais. “O evento está extremamente atual. Está trazendo para a comunidade militar e policial defesa e segurança, com o que tem de melhor das tecnologias tanto de arma de fogo como de setores de APH Tático”, afirmou.

Entre as clínicas também houve a do veterano Navy SEAL Rich Graham. Ele promoveu uma oficina sobre o manuseio avançado de armas de fogo.  Já Rigo Durazo, fundador e diretor de treinamento da Tacflow Academy, promoveu a oficina “Bilateral Gunfighter”. Paulinho César, policial civil do Grupo Armado de Repressão a Roubo e Assalto (Garra/SP), ministrou a clínica de Táticas Urbanas.

Palestras de especialistas em Segurança

No sábado, a primeira apresentação foi do Subchefe de Análise e Acompanhamento e Políticas Governamentais da Presidência da República, Eduardo Aggio. Ele abordou as ações de fortalecimento da Polícia Rodoviária Federal (PRF) durante seu período à frente da corporação. De acordo com Aggio, o principal avanço ocorreu por meio da aquisição de equipamentos para proteção dos agentes e o fortalecimento das operações de combate ao crime.

Logo em seguida subiu ao palco o secretário de Segurança Pública da cidade de Curitiba, o coronel PM da reserva Péricles de Matos. Em sua explanação, o militar falou sobre o processo de aperfeiçoamento dos comandos de operações táticas e especiais. Matos destacou a necessidade de planejamento em ações policiais sensíveis, como aquelas que envolvam terrorismo, reféns ou explosões.

O terceiro palestrante do dia foi o delegado Rafael Fagundes. O tema de sua palestra foi a evolução dos comandos de operações especiais nas polícias judiciárias (Civil e Federal). Em quase uma hora de explanação, Fagundes demonstrou, por meio de exemplos reais, a importância do uso das forças especializadas em situações de alto risco. Por meio de um histórico do avanço da criminalidade no país, o delegado defendeu a formação de policiais cada vez mais treinados para atuar nos mais diferentes tipos de terreno.

O atual secretário de Justiça e Segurança Pública de Minas Gerais, Rogério Greco. Promotor de Justiça, ele trouxe aos participantes do W2C um detalhado histórico do avanço das facções criminosas no país, desde a origem do Comando Vermelho na década de 1970 até o atual estágio de atuação do Primeiro Comando da Capital (PCC). Greco destacou a necessidade da atuação de homens honestos na vida pública e terminou com uma injeção de ânimo na plateia. “Não vamos perder a esperança. Vamos reconstruir o Brasil. Se não nós, quem?”, indagou.

Sobre o evento

O W2C reuniu mais de 1,6 mil instrutores policiais e de armamento e tiro, que participaram de uma maratona com 42 clínicas práticas e sete palestras de referências internacional entre 4 e 7 de setembro na BASE Armalite, em Itu. O evento é técnico e destinado a profissionais da segurança pública, agentes da segurança privada com certificação profissional válida, membros do Ministério Público e do Judiciário, militares das Forças Armadas e atiradores esportivos com CR válido.