Solenidade on-line comemora 20 anos de Comad

Evento contou com a presença dos ex-presidentes do Conselho Municipal de combate às drogas

29

Um evento virtual, realizado na tarde da quarta-feira (21), marcou a celebração dos 20 anos do Conselho Municipal de Políticas sobre Drogas (Comad), órgão ligado à Secretaria Municipal de Direitos Humanos e de Participação Popular.

O presidente da Escola do Legislativo (EL), vereador Guilherme Bianco (PCdoB), representando o presidente da Câmara Municipal de Araraquara, Aluísio Boi (MDB), abriu os trabalhos. “Nesse momento pelo qual o Brasil passa, de uma ampla crise estrutural, financeira, social e política, esse tema de políticas públicas de combate às drogas vem à pauta e também entra no grande eixo político para que a gente possa ampliar as discussões e conseguir construir novos horizontes para essa pauta.”

Para a primeira presidente do Comad, entre os anos de 2001 e 2004, e voluntária do Amor Exigente em Araraquara há 26 anos, Maria Lúcia de Oliveira Gil, Araraquara está sempre à frente no trabalho de combate às drogas, pois reúne pessoas que se preocupam com as crianças, adolescentes e jovens, almejando um futuro em que possam viver livres e fazer boas escolhas. “Acredito muito nessa união do poder público, do poder judiciário e da sociedade civil. Assim estaremos a favor da vida longe das drogas e de comportamentos inadequados. Precisamos investir na prevenção antes que as coisas ruins aconteçam.”

Psicólogo, antropólogo, especialista em intervenção familiar (psicoterapia e orientação), doutor na área de Antropologia Visual pela Unicamp e presidente do Comad entre 2005 e 2010, Murilo José D’Almeida Machado, lembrou os fóruns realizados para discutir o tema. “É um problema de complexa solução, já que envolve uma doença chamada dependência de substâncias psicoativas, que é uma doença muito difícil. Ela precisa de um acompanhamento psicológico para as pessoas que têm a dependência e necessita da união de vários setores.”

Presidente de 2012 a 2016 do Comad, fundador e presidente da ONG “Legal é Prevenir” e conselheiro tutelar de Araraquara, Márcio William Servino entende que os três poderes, Executivo, Legislativo e Judiciário, sempre se preocuparam com o tema. “As dificuldades que temos hoje, algumas são ainda lá de trás, de 20 anos. Tivemos um aumento vertiginoso e novas drogas surgiram. Hoje, temos o crack de forma avassaladora na nossa sociedade e é necessário que políticas acompanhem isso, e a Câmara Municipal fez muito.”

Já o presidente do Comad de 2017 a 2018, formado em Teologia, e conselheiro do Conselho Municipal de Saúde de Araraquara e da Associação Amigos da Vida de Araraquara, Ari Silva Simões Braga, afirmou que aprendeu muito nos anos à frente do conselho. “Infelizmente, o problema das drogas está em grande número de famílias, e as crianças são diretamente afetadas por esses problemas. Então procuramos desenvolver trabalhos para prevenir o uso da droga.”

Representando o prefeito Edinho Silva (PT), a secretária municipal de Direitos Humanos e Participação Popular, Amanda Vizoná, afirmou que a pasta dialoga permanentemente para facilitar o trabalho do conselho. “O Comad tem o papel de fiscalizar a política pública do município, mas também de somar na formulação dessa política pública. Precisamos ser parceiros e é claro que todas as secretarias do município precisam estar envolvidas.”

Também participaram do evento a presidente do Conselho Municipal da Assistência Social, Clélia Maria Candido; o secretário do Comad, José Guilherme Cagnin; os representantes da Diretoria Regional de Assistência e Desenvolvimento Social (Drads), Paulo Albano e Luciana Sanches; a conselheira do Comad e gestora do Caps AD Araraquara, Stella Dias; a técnica em enfermagem, Anastácia Cristina Santos; e o representante do Comad de Indaiatuba, capelão Gerson Luiz.

Comad

Instituído pela Lei Municipal nº 5.698/2001, e posteriormente reformulado pela Lei Municipal nº 9.045/2017, o conselho é um órgão colegiado, de caráter consultivo e deliberativo, destinado a integrar, de forma conjunta e articulada, os órgãos de níveis federal, estadual e municipal que compõem o Sistema Nacional de Prevenção, Fiscalização e Repressão de Entorpecentes.

O Comad tem por objetivo desenvolver e estimular programas e atividades de prevenção quanto ao uso indevido e o abuso de drogas, cooperar com serviços que visem ao encaminhamento e tratamento de dependentes de drogas e entorpecentes, e incentivar estudos e pesquisas sobre o problema do uso indevido e abusivo de entorpecentes e substâncias que determinam dependências físicas ou psíquicas.