Sindicato denuncia condições ruins do prédio do CER do Jardim Indaiá

Prefeitura acredita que esteja ocorrendo uma “politização da Educação” por parte dos servidores que não querem a volta das aulas presenciais

32

O prédio do CER “Maria Aparecida de Azevedo Bozutti”, no Jardim Indaiá, na zona Norte de Araraquara, apresenta vários problemas que demonstram a falta de manutenção periódica. A creche atende a população do Jardim Indaiá e região.

De acordo com vistoria feita por membros do Sindicato dos Servidores Municipais de Araraquara e região (SISMAR) na manhã da última quarta-feira (6), a unidade escolar apresenta mofo nas paredes, infiltração, água pingando do teto mesmo três dias após a ocorrência de chuva, sala alagada, ferrugem, rachaduras, o que evidencia falta de manutenção básica. O SISMAR esteve no local a pedido dos servidores da unidade escolar.

“A situação da unidade é chocante. Sabíamos que não havia reforma lá há tempos, mas nos assustamos com a aparência de abandono de quase todo o prédio. O risco para servidores e alunos é enorme”, conta Bernadete Couto, professora e dirigente do SISMAR. “Precisamos de uma solução urgente para aquela unidade”, completa.

Diante da gravidade dos fatos, para proteger a saúde e a vida dos servidores e dos alunos, o Sindicato acionará a fiscalização da Gerência Regional do Trabalho e Emprego (GRTE), levará o caso ao conhecimento do Ministério Público do Trabalho (MPT), além de comunicar toda a situação para a própria Secretaria Municipal da Educação, para que providências sejam tomadas imediatamente.

A situação da unidade é crítica há pelo menos 3 anos, de acordo com relato dos servidores. A chuva e o vento do último domingo (3) causaram ainda mais estragos no local.

O que diz a prefeitura:

Procurada pela reportagem do O Imparcial, a Secretaria de Educação do município respondeu que: “Os reparos necessários no telhado do CER Maria Aparecida de Azevedo Bozutti, no Jardim Indaiá, já foram avaliados pela equipe técnica da Secretaria de Educação e corroborados pela Secretaria de Obras e serão executados tão logo os trâmites legais para a contratação sejam superados.

Manutenção em próprios públicos faz parte do dia de uma Prefeitura do porte de Araraquara. Querer caracterizar “abandono da rede educacional” é uma tentativa de politizar algo técnico. O que fica cada vez mais evidente é que uma parcela minoritária dos servidores da Educação ainda não se convenceu da necessidade da volta presencial às aulas, da retomada do processo educacional para as nossas crianças e adolescentes.

A Prefeitura de Araraquara tem batido recordes em investimentos na Rede Municipal da Educação. Desde 2017, são 11 unidades de educação construídas ou entregues completamente reformadas e ampliadas pelo município, inclusive em locais de grande densidade populacional como o Valle Verde, onde foram entregues 3 novos CERs (Centro de Educação e Recreação) e 1 EMEF (Escola Municipal de Ensino Fundamental). São mais de R$ 16 milhões em investimentos.

Ainda estão em andamento ou em fase final de projeto a reforma e ampliação em outras 15 unidades, totalizando investimentos da ordem de R$ 8 milhões. Nunca se investiu tanto na estrutura física da Rede Educacional do município.

Todas essas obras foram definidas pela população como prioridade de investimento no Orçamento Participativo justamente porque muitas delas não passavam por reformas desta magnitude há anos.

É hora de parar com a politização da educação e nos unirmos para sanarmos o déficit educacional das nossas crianças que ficaram fora da escola na pandemia de Covid-19”.