Secretário de transportes e logística fala sobre corredor logístico das rodovias do Estado

O secretário estadual de logística e transportes, João Octaviano Machado Neto, que visitou obra na Rodovia SP-255, em Araraquara, destacou o projeto de logística das rodovias de SP

62

O secretário estadual de Logística e Transportes, João Octaviano Machado Neto, esteve em Araraquara nessa quarta-feira (1º). Ele vistoriou as obras de duplicação da Rodovia Antônio Machado Sant´Anna (SP-255), no trecho compreendido entre o km 48+100m e o km 77+100m, entre Araraquara e Rincão. Ele também vistoriou a pavimentação da estrada ARA-034 (Vereador Valderico Jóe) que ligará a SP-255 à SP-310 (Washington Luís), passando pela região do novo contorno ferroviário e a Usina Maringá, pela antiga Estação do Ouro e saindo na Descida do Chibarro, já na Rodovia SP-310.

Em entrevista exclusiva ao O Imparcial, o secretário falou sobre seu Projeto de Logística para o estado de São Paulo, pensando na conectividade de modais, escoamento de produção e segurança viária. João Octaviano ressaltou a importância das viagens que tem feito pelo estado para conhecer as realidades e necessidades de cada região.

Investimentos

“Nós estamos investindo R$ 325,2 milhões em obras rodoviárias apenas na região de central, entre Araraquara e São Carlos. Com isso, fortalecemos o sistema rodoviário, ampliamos a ligação entre as cidades e avançamos na integração com diferentes modais para aumentar o escoamento da produção e potencializar o crescimento regional. Atrelados ao desenvolvimento econômico, setores importantes como o turismo e o agronegócio dependem da qualidade dos modais de transporte para garantir o fluxo de pessoas e o transporte de produtos. Quando recuperamos as estradas vicinais ou rodovias do Estado, estamos criando oportunidades de empregos, desenvolvimento e renda para a população”, relatou o secretário que ressaltou que apenas na obra de duplicação da SP-255 entre Araraquara e Rincão, foram criadas cerca de 280 vagas de emprego regionais, já no Estado, serão gerados mais de 25 mil empregos distribuídos em várias regiões.

Visita técnica

Com investimento de R$ 124 milhões e previsão de entrega em 30 meses, as obras estão sendo realizadas pela concessionária ViaPaulista. O projeto inclui a duplicação da pista principal, a implantação de dois novos acessos nos quilômetros 65+080m e 56+900m, além da remodelação dos dispositivos localizados nos quilômetros 49+250, km 51+500, km 60+400, km 69+600 e km 73+600. Serão 30 km de duplicação, desde Guatapará até Araraquara. A SP-255 é uma via fundamental para a economia da região central, ligando toda a região de Bauru e Jaú até a região de Ribeirão Preto e Franca, passando por Araraquara.

“Essa é uma obra importante de modernização para as rodovias do Estado de São Paulo e que implanta um novo corredor logístico ligando a parte norte do estado, em Franca, à divisa com o Paraná, com mais de 700 quilômetros de rodovia. A duplicação traz inúmeros benefícios que vão além da melhor trafegabilidade na região, como geração de empregos e impostos aos municípios, movimenta a economia local e proporciona melhores condições para chegada de novas indústrias e empresas”, disse Octaviano que fez uma visita técnica ao local das obras.

Aeroportos

O secretário ressaltou que, além das rodovias, os aeroportos do estado também vão receber um grande investimento com as concessões. “A concessão dos aeroportos vai garantir R$ 30 milhões em investimentos aos aeroportos da região, sendo R$ 16 milhões em Araraquara e R$ 14 milhões em São Carlos. O capital privado irá atrair novos investimentos, trazendo emprego e renda para a região. O Estado não tem esse capacidade comercial de atrair investimentos, já o capital privado tem e, com isso, logo empresas aéreas estarão operando no aeroporto de Araraquara e São Carlos para absorver a demanda regional de passageiros”, resumiu.

Tecnologia

O projeto de recuperação e melhoria da malha viária estadual conta com a metodologia IRAP (Programa Internacional de Avaliação de Rodovias), que vai permitir que vias sejam projetadas para limitar a probabilidade de acidentes, assim como minimizar a gravidade das ocorrências. A metodologia já foi aplicada com sucesso em mais de 1 milhão de quilômetros de rodovias em mais de 80 países.
“Este programa tem uma série de parâmetros internacionais para você avaliar a performance da rodovia, como número de acidentes, manutenção, trecho percorrido, enfim, tem um grande conjunto de indicadores que são consolidados nessa plataforma internacional chamada IRAP, que puxa para cima a linha base de avaliação da rodovia que passa a ser comparada com rodovias internacionais. Esses índices que são avaliados passam a ter um papel importante na avaliação da rodovia, além disso, você tem a cada quatro anos uma avaliação da concessão, todo o acompanhamento da performance da rodovia através de parâmetros internacionais, para que não se faça uma avaliação de forma subjetiva, que tenha uma referência. Eu acho que a placa que diz que: ‘neste local tem risco de acidente’, não pode mais existir. Nestes locais a gente precisa intervir para mudar a situação, mas esse fenômeno de planejamento vem a partir da medição de indicadores e as melhorias vêm também em conjunto com as concessionárias”, finalizou o secretário.

O prefeito Edinho Silva (PT) acompanhou o secretário nas visitas às obras e ficou muito otimista com a acolhida da demanda por parte de Octaviano. Também estiveram na visita o vice-prefeito e secretário do Trabalho, Desenvolvimento Econômico, Damiano Neto; o secretário de Obras e Serviços Públicos, Sérgio Pelícolla; o prefeito de Dourado, Gino Torrezan (PL); o coordenador de Apoio aos Municípios da Secretaria de Logística e Transportes, Clodoaldo Pacce Filho; o diretor regional do DER (Departamento de Estradas e Rodagem), Marcos Mantoanelli; o presidente da Autem Engenharia, Carlos Alberto Ferreira Leão; o diretor executivo de operações da concessionária Arteris, André Bianchi, e o diretor de operações, Ricardo Tozzi Gerab; e o comandante do 3º Batalhão de Polícia Militar Rodoviária, tenente-coronel Pedro Luís de Souza Lopes.

Foto: O Imparcial