Santa Casa de Araraquara lança projeto para cuidado centrado na pessoa

Pioneira e referência em saúde, a Santa Casa de Araraquara vem realizando atendimentos exclusivos e diferenciados, valorizando a experiência de cada um de seus pacientes.

28

Pioneira e referência em saúde, a Santa Casa de Araraquara vem realizando atendimentos exclusivos e diferenciados, valorizando a experiência de cada um de seus pacientes.

Prova disso é o mais novo projeto que está em implantação em alguns setores do hospital. As equipes de atendimento multidisciplinar foram treinadas para, além de atender com foco nas doenças ou problemas de saúde, mas também em concentrar esforços para conhecer o que realmente importa para cada paciente: o nome do projeto é Biografia do Paciente.

O projeto nada mais é do que um movimento de cuidado centrado na pessoa – pergunte, escute, faça. Durante as interações com os pacientes, são feitas perguntas simples, todos os dias, a fim de melhorar o atendimento.

Com isso, a ideia é encorajar conversas significativas entre pacientes, cuidadores, famílias e profissionais da saúde e transformar as respostas em ações de melhoria no cuidado. “Por exemplo, se o paciente responder que sua comida preferida é massa, e a sua dieta hospitalar não restringir massas, não existem impedimentos para que o dia a dia seja mais prazeroso através da sua alimentação. Existe uma relação mais próxima e de troca entre essas pessoas”, explica o diretor técnico do hospital, o médico André Peluso Nogueira.

Quando se faz perguntas para alguém, como “Qual o seu prato preferido?”, “Qual o seu time do coração?” ou “Você tem animais de estimação, quais os seus nomes?”, e escuta o que faz o dia dessa pessoa feliz, há uma condição mais apta para implementar intervenções direcionadas que ajudam a aumentar o envolvimento, a alegria na rotina e, consequentemente, a obter resultados mais satisfatórios.

André Nogueira explica que fornecer cuidados centrados no paciente é importante para resultar em maior satisfação e melhores resultados. “Conhecer a pessoa, seus gostos e desgostos é concentrar esforços no que realmente importa para ele”, afirma.

O projeto teve início na Unidade Respiratória, ala destinada aos pacientes acometidos pela Covid-19, e apresentou bons resultados. Hoje, o projeto está em fase inicial na UTI Adulto.

Conforme o projeto for ganhando força e os treinamentos forem passados adiante para novas equipes, a proposta é expandi-lo para todo o hospital, visando à humanização empenhada em todo o processo de cuidado.