Restaurante Universitário da Unesp será reaberto em 2022

Anúncio foi feito, no local, aos vereadores Guilherme Bianco (PCdoB), Thainara Faria (PT), Fabi Virgílio (PT) e Luna Meyer (PDT)

91

Fechado desde 2014, o Restaurante Universitário (RU) do campus de Araraquara da Universidade Estadual Paulista (Unesp) será reaberto. O anúncio foi feito, no local, à vice-presidente da Câmara Municipal, Thainara Faria (PT), e aos vereadores Fabi Virgílio (PT), Guilherme Bianco (PCdoB) e Luna Meyer (PDT). A previsão é que as atividades sejam retomadas gradativamente a partir de maio de 2022.

A reabertura do restaurante é uma reivindicação da vereadora Thainara Faria desde 2018. Nesse período, diversas reuniões foram realizadas com a comunidade acadêmica e ofícios enviados à reitoria. Em maio de 2019, a parlamentar também convocou uma Audiência Pública para tratar do tema. Na ocasião, estudantes lotaram o saguão de entrada e o Plenário da Câmara Municipal.

“Uma pessoa só consegue estudar e produzir, se estiver alimentada. Por isso, garantir a alimentação é fundamental para a permanência estudantil de uma parcela significativa dos estudantes”, pontuou Thainara. Outra preocupação da vereadora é quanto à capacidade financeira de custeio pela instituição, levantada pelo diretor da Faculdade de Ciências e Letras (FCL), Jean Cristtus Portela.

“Do ponto de vista orçamentário, temos condições de subsidiar cerca de 300 refeições por dia. Por isso, nossa prioridade serão os estudantes que estão ligados à permanência estudantil por algum tipo de auxílio”, explicou. Portela calcula um subsídio de R$ 5,00 por refeição, o que equivaleria a um investimento aproximado de R$ 300 mil por ano, feito pela instituição. Por sua vez, o estudante teria que desembolsar cerca de R$ 5,00 por refeição.

Os parlamentares se prontificaram a buscar emendas estaduais e federais para que mais pessoas possam usufruir da alimentação. Antes do fechamento, o RU chegou a fornecer uma média de 1,2 mil refeições por dia, entre almoço e jantar, para cerca de 10 mil pessoas, entre estudantes, professores, funcionários e visitantes, a um custo aproximado de R$ 2,50.

Para o vice-diretor da FCL, Rafael Orsi, o Restaurante Universitário é mais do que um espaço para comer. “Quando assumimos a gestão, a reabertura do restaurante era prioritária. Era uma demanda social e também de uma alimentação que vai além do corpo. Aqui é um espaço de socialização, de conversa, de encontros”, destaca.

O vereador Guilherme Bianco concorda. “Quando eu estudei aqui, o bandejão era o coração do campus. Era aqui onde aconteciam intervenções artísticas, convocações de assembleias, era realmente um ponto de encontro. Fico emocionado de estar novamente aqui”, pontuou. O espaço ainda passará por adequações para atender aos protocolos sanitários impostos, devido à pandemia de Covid-19.

Também participaram da reunião o diretor administrativo da FCL, Henrique Fernandes, e a diretora técnica acadêmica, Ana Luísa Simioni.

Sobre a reforma

Com problemas estruturais e sanitários, o Restaurante Universitário foi fechado em 2014 para uma reforma, com duração prevista de um ano e meio. No entanto, problemas com as empresas vencedoras do processo de licitação – ao todo, quatro empresas foram contratadas, sendo que as duas primeiras decretaram falência -, somadas à crise financeira que assola as universidades públicas paulistas, comprometeram o cumprimento do prazo.

A reforma e a compra dos equipamentos foram concluídas no início de 2020, mas o espaço segue fechado devido à pandemia. A nova estrutura conta com amplo espaço de refeitório, duas câmaras de refrigeração, duas câmaras de congelamento e locais independentes para manipulação de carnes, massas e verduras. Há também banheiros próprios para uso dos funcionários. O custo total, contando reforma, ampliação e compra de equipamentos, foi de aproximadamente R$ 4 milhões.