Região do Condomínio Tipuanas deve receber operações policiais para coibir excessos

No último final de semana a Polícia Militar dispersou centenas de pessoas que se aglomeravam no entorno do residencial

357

José Augusto Chrispim

A Polícia Militar deve intensificar o policiamento na região do Condomínio Portal das Tipuanas, localizado na região do Jardim Adalgisa, em Araraquara. A região vem se tornando um grande transtorno para os moradores do bairro devido à grande concentração de pessoas e veículos nos finais de semana.

Com avenidas largas e espaços para caminhada, o bairro que concentra vários condomínios residenciais nas proximidades da Rua Maurício Galli, se transformou em um local de lazer para milhares de jovens que se concentram nas calçadas e na praça que existe na região para conversarem e ouvirem música. Até aí nada de errado, porém, devido ao momento de pandemia em que nos encontramos, as aglomerações de pessoas estão proibidas. Além disso, a grande maioria dos frequentadores do local não usa máscara e não respeita as regras de distanciamento social.

Outro problema apontado é o som alto que sai dos veículos que tira o sono dos moradores da região. No último final de semana a Polícia Militar realizou uma operação para dispersar os frequentadores do local depois de receber diversas denúncias sobre perturbação do sossego.

Situação difícil

Para o engenheiro, de 40 anos, que mora em um dos condomínios da região e prefere não se identificar, a situação aos finais de semana está cada vez pior. “Aos finais de semana nós não temos mais sossego em casa. Como moro ao lado do muro do condomínio, o som alto e o barulho das pessoas conversando atrapalham muito. Eu tenho uma filha de apenas 1 ano e 6 meses e, enquanto o barulho não acaba, por volta de 4 horas da madrugada, ela não consegue dormir bem. Já chamei a Polícia Militar várias vezes, mas o pessoal não respeita. Não sei mais o que fazer”, desabafou o morador.

Falta de opção

A reportagem conversou com um webdesigner, de 28 anos, que costuma frequentar o local aos finais de semana. Ele alega que o ‘rolê’ é mais por falta de opção de lazer na cidade. “Ali tem gente de toda parte da cidade que vem em busca de um pouco de lazer. A gente fica conversando, ouvindo música, acho que não tem nada de errado nisso. além do mais, o fechamento dos bares devido à pandemia, acabou deixando a gente sem opção. No sábado passado, a polícia cercou os quarteirões e foi mandando a gente ir embora. Eu falei pro policial que não estava fazendo nada de errado, mas respeitei a ordem e fui embora pra casa”, declarou o jovem.

 Operação planejada

De acordo com o comandante da 3ª Cia da PM, o capitão PM Filomeno, as operações como a que ocorreu no último final de semana, vêm sendo planejadas há cerca de três meses pela PM e visam inibir a perturbação do sossego público, além de infrações de trânsito que possam ser cometidas no local.

Entre as infrações que podem ser cometidas pelos frequentadores do local, estão as de trânsito que variam de estacionamento irregular, uso irregular de som automotivo, falta de licenciamento, entre outras. Também há a contravenção penal de perturbação do sossego alheio, prevista no artigo 42 do Decreto Lei nº 3.688, de 03 de outubro de 1941.
O comandante ressalta que não foram constatadas situações de tráfico de drogas durante as ações policiais desenvolvidas naquela região e, caso seja constatado o flagrante, as medidas policiais decorrentes serão adotadas. Ele lembra que na operação realizada no último final de semana, dois veículos foram recolhidos e foram elaborados 28 autos de infrações.

Planejamento
O capitão relata que existem outras operações planejadas para serem executadas naquela região. “O planejamento ainda manterá as ações de presença de equipe policial-militar para inibir as ações apontadas anteriormente, tanto naquela região quanto em outras em que existe o mapeamento da mesma problemática”, destaca Filomeno.

Como denunciar?
O PM ressalta que os moradores que se sentirem incomodados com alguma situação de abuso devem ligar para o telefone 190 da PM para ser cadastrada a ocorrência, para que uma equipe policial-militar seja direcionada para o atendimento.

Medidas

O comandante da 3ª Cia foi questionado sobre quais ações podem ser tomadas pela Polícia Militar e pelo Poder Público para coibir esses abusos. “Além da presença da Polícia Militar, também há planejamento conjunto com a GCM e o setor de trânsito para mitigar o problema. Um ótimo exemplo que ajuda na atuação da instituição foi a instalação de placas na região do Tipuanas e também do Teatro Municipal. Ainda está em análise a regulamentação do estacionamento em outros locais da cidade”, ressaltou o capitão.