Rafael de Angeli deve concorrer à Prefeitura em 2024

O vereador líder da Bancada do PSDB quer uma Câmara independente e com diálogo entre os mais diversos espectros políticos

342

José Augusto Chrispim

O vereador Rafael de Angeli (PSDB) falou ao O Imparcial sobre suas expectativas para a atual legislatura. Ele reafirmou sua postura de oposição ao governo municipal de Edinho Silva (PT) e disse que espera ajudar a construir uma Câmara independente e livre de amarras com o Executivo.

O tucano, que foi eleito com 1.559 votos para cumprir seu segundo mandato na Câmara Municipal de Araraquara, emitiu uma nota à imprensa na semana passada reiterando sua posição de autonomia em relação ao governo municipal e se colocando contra os filiados do partido que assumirem cargos no governo municipal. Ele também repudiou a nomeação  de três ex-vereadores para assumirem cargos comissionados na Prefeitura.

O tucano falou também sobre sua aspiração ao 6º andar do Paço Municipal, “caso a situação política do momento se mostre favorável e seja possível a construção de um projeto de um novo modelo de administração pública”.

Veja a entrevista na íntegra:

O Imparcial: Quais são as suas expectativas para esse segundo mandato?

Rafael: “Minha expectativa é poder trabalhar em favor da população, construindo uma Câmara cada vez mais independente. Venho pedindo ao presidente Boi para que haja tempo para o diálogo, de modo que o governo não tenha autonomia para colocar projetos de última hora, sem que nós, da oposição, possamos apontar os problemas e nossas discordâncias. Já disse também, em entrevistas anteriores, que considero fundamental o serviço de fiscalização desenvolvido pelo legislativo, de modo a impedir que o executivo realize desvios dos mais diversos tipos”.

O Imparcial: Qual é a linha política que você pretende seguir nesse mandato?

Rafael: “Sou um centrista e acredito no diálogo como força motriz da política. Quero estar em constantes conversas com os mais diversos espectros políticos. Serei oposição, pois não concordo com a política que o Sr. Edinho vem implementando em nosso Município, onde o discurso é antagônico à prática”.

O Imparcial: Em uma Câmara tão heterogênea, você acredita que os vários setores da sociedade estarão representados?

Rafael: “Aparentemente sim, embora eu discorde, por exemplo, de algumas pautas colocadas pelos eleitos do PT. É inegável que uma parcela da população pensa como eles e merece ter sua voz na Câmara. A eleição de candidatos mais ligados ao bolsonarismo também é importante para que essa parcela de direita pura se sinta representada. Penso que quanto mais plural nossa Câmara, melhor”.

O Imparcial: O presidente estadual do PSDB, Marco Vinholi, prega união de forças políticas, se necessário, para o bem de Araraquara. Qual é a sua opinião em relação a isso?

Rafael: “Eu nunca fui contra a união de forças políticas para o bem de Araraquara. Quando da reabertura do aeroporto (infelizmente com os voos novamente interrompidos em razão da pandemia), estive em São Paulo junto com o Prefeito Edinho (PT) e o Governador João Doria (PSDB), mas é desnecessário que existam filiados participando do Governo Municipal para que exista essa “união para o bem”. Quando alguém passa a ter o sustento atrelado a um cargo público, acaba a autonomia para criticar o mandatário naquilo que ele erra. Como alguém poderá ir contra o próprio patrão? Eu estou disposto a uma união política para o bem de Araraquara e por isso mesmo não aceitarei cargos no executivo e determinei aos meus correligionários que também não aceitem. Quero que o meu patrão continue sendo somente o povo. Já disse ao prefeito Edinho diversas vezes: para ter meu voto favorável na Câmara, basta que envie bons projetos e que favoreçam os munícipes, ao invés de aumento do IPTU e migração para o regime estatutário, por exemplo, que é um crime contra o servidor”.

O Imparcial: A Bancada do PSDB fará uma oposição radical ao governo ou votará a favor de projetos do Executivo, caso eles sejam positivos para a cidade?

Rafael: “Digo por mim: votarei favorável ao que for importante e benéfico para a cidade. Pedindo licença ao meu amigo e vereador João Clemente, acredito que a postura dele também será assim. Será um grande prazer ter o João como meu companheiro de bancada, pois sei de sua grande capacidade técnica, inclusive possuindo o título de bacharel em direito. Pretendo sentar com ele e conversar sobre todas as votações, para tentarmos manter o PSDB unido. Poderíamos fazer uma oposição radical, visando a atrapalhar, como a bancada do PT fez nas duas gestões do Marcelo Barbieri? Sem dúvidas, mas meu interesse é muito mais que partidário, é um interesse no futuro de Araraquara”.

O Imparcial: Fale um pouco sobre seus projetos para esse segundo mandato.

Rafael: “Pretendo continuar a fiscalizar os passos do poder executivo com a mesma intensidade que fiz nos últimos anos. Acredito que teremos um desafio pós-pandemia e quero estar perto da secretaria de saúde, observando a destinação dos equipamentos comprados emergencialmente durante essa crise. A alta taxa do desemprego também é um problema a ser enfrentado e pretendo desenvolver ações de incentivo ao empreendedorismo, tal como fiz na última legislatura. Por fim, modernizar o cotidiano da Câmara e da Prefeitura também estão nos meus radares”.

O Imparcial: Você pretende concorrer à Prefeitura na próxima eleição?

Rafael: “Antes de citarmos nomes, é necessário falarmos de projetos: eu defendo que seja apresentado um projeto inovador, que conecte o sentimento da sociedade com a necessidade de um novo modelo de Administração Pública, em especial com o que há de mais moderno: a chamada gestão 4.0, que propõe a entrega de serviços públicos eficientes, autônomos e customizáveis, com o uso de uma tecnologia intensiva. É necessário um novo modelo de governo, que apresente uma verdadeira revolução no jeito de fazer política, criando facilidades para o cidadão e não burocracia, como vemos atualmente. Indubitavelmente buscarei a criação de uma candidatura que contemple esses pontos e, caso a situação política do momento se mostre favorável e seja possível essa construção, serei candidato ao 6º andar”, finalizou o vereador tucano.