Proteção à mulher também é prioridade durante o período de isolamento social 

Queixas de violência podem ser denunciadas pelo celular e registradas pela internet

37

A preocupação com a violência doméstica contra as mulheres segue entre as prioridades da Secretaria Municipal de Planejamento e Participação Popular neste período de isolamento social diante da pandemia do coronavírus.

Por isso, a secretária da pasta, Amanda Vizoná, ressalta que os principais serviços de proteção às mulheres continuam funcionando em Araraquara, como o plantão do Centro de Referência da Mulher, que oferece atendimento 24 horas pelo telefone 99762-0697.

“Este período de isolamento social é bastante complicado para a mulher vítima de violência porque ela se vê longe de seu círculo social e, com isso, o agressor se sente mais seguro para cometer a agressão, pois ele sabe que a mulher vai ter dificuldade em pedir ajuda. Por isso, a Prefeitura continua disponível para prestar todo o atendimento necessário às mulheres que se sentirem vulneráveis neste momento”, explica Amanda.

Por meio do plantão do Centro de Referência, as mulheres recebem atendimento psicológico e acompanhamento até a delegacia em caso de necessidade, como já vinha ocorrendo. Também pelo mesmo telefone, as mulheres em risco e que não tenham onde ficar têm acesso à Casa Abrigo, a fim que fiquem protegidas.

Amanda ressalta ainda que os boletins de ocorrências relacionados à violência doméstica contra a mulher já podem ser registrados virtualmente pela internet, através da Delegacia Eletrônica da Polícia Civil do Estado de São Paulo. A ferramenta acaba de ser disponibilizada pelo Governo do Estado neste momento de isolamento social por conta do coronavírus e está disponível no link https://www.delegaciaeletronica.policiacivil.sp.gov.br/ssp-de-cidadao/home

De acordo com Amanda, o serviço chega para facilitar o atendimento, sem que haja a necessidade de a vítima sair de casa e sem despertar a desconfiança de seu agressor.

A secretária também reforça que as mulheres podem solicitar na própria delegacia online a implementação de medidas protetivas. O pedido será encaminhado diretamente à Justiça e chegará à vítima por WhatsApp.