Projeto contribui para saúde mental de pacientes internados no Hospital de Campanha

Psicólogas da Prefeitura realizam atendimento duas vezes por semana

37

Em tempos de pandemia, inseguranças e incertezas, a humanização do atendimento é indispensável para proporcionar acolhimento aos pacientes internados por Covid-19. Pensando nisso, o Hospital de Campanha da Prefeitura passou a contar com o trabalho de duas psicólogas e uma fisioterapeuta focadas no bem-estar emocional dos doentes.

As psicólogas da Prefeitura se revezam nos atendimentos duas vezes por semana. Ticiana Tortorelli, que atua no projeto e foi uma das idealizadoras da iniciativa, conta que a ideia central é acolher e proporcionar uma escuta ativa, que possibilite a ressignificação do momento de sofrimento vivenciado por cada paciente.

“O objetivo é auxiliar o paciente em seu processo de adoecimento, visando à minimização do sofrimento provocado pela hospitalização, considerando as diversas demandas e respeitando a história de vida de cada pessoa”, explica a psicóloga.

De acordo com ela, o cuidado de escuta psicológica também é realizado com os funcionários do Hospital de Campanha, porém de maneira informal devido à dinâmica de trabalho do local. “Mesmo de maneira informal, eles acabam expressando suas angústias. E esse expressar é terapêutico. E esse expressar é terapêutico. Exteriorizar as emoções representa um passo importante para que ocorram ressignificações”, pontua Ticiana.

A psicóloga também pode acionar a assistente social do hospital para que as pessoas internadas possam conversar com seus familiares por chamadas de vídeo, a fim de garantir a manutenção dos vínculos afetivos e o bem-estar dos pacientes. “É um momento que faz a diferença dentro do quadro clínico do paciente. E é essa a ideia da psicologia hospitalar, proporcionar a ressignificação dentro desse momento de sofrimento pelo qual muitos estão passando”, ressalta Ticiana.

Dependendo do caso, as psicólogas do projeto também solicitam a intervenção de uma fisioterapeuta, que conduz exercícios respiratórios com foco na diminuição da ansiedade junto aos pacientes que possuem aval médico.

“Cada um é um sofrer diferente, são angústias diferentes, necessidades diferentes de acordo com cada história de vida. Queremos ajudar para o melhor enfrentamento desse momento tão difícil e sofrido”, conclui Ticiana.