Projeto associa artistas a produtores rurais e leva a feira até a casa do consumidor

Um projeto solidário que propõe uma parceria entre artistas e produtores rurais viralizou em Araraquara na última semana: é o "Agri Cultura", que oferece cesta de hortifrutis com preço acessível e entrega em domicílio.

68

A iniciativa da atriz Tania Capel e do Grupo Pé Vermelho (grupo que desenvolve atividades artísticas e culturais nos assentamentos da região), em tempo de Coronavírus, cria uma parceria entre artistas e produtores como forma de unirem-se diante à crise: os artistas não podem se apresentar e os produtores têm uma grande queda nas vendas e feiras da cidade. “O isolamento social proposto como medida de combate a Covid-19 mudou a vida de muita gente (pelo menos por um tempo!). Artistas tiveram suas agendas canceladas e os agricultores viram as feiras esvaziadas”, aponta Tania.

Com o projeto, os artistas criam uma conexão com produtores da seguinte forma: os artistas divulgam as cestas na internet (já que os produtores não possuem intimidade com a comunicação virtual) e fazem o contato com o interessado, anotando os pedidos. Já com os pedidos fechados, os artistas passam a demanda aos produtores que entregam a cesta diretamente na casa do consumidor.

A divulgação online do projeto teve início a semana passada e viralizou, sendo um grande “boom”. Muitas pessoas estão até com dificuldade para conseguir serem atendidas pelo fone. “Realmente foi uma surpresa, pois o projeto bombou! Pedimos a gentileza dos interessados nos enviarem mensagem de pedido por meio do WhatsApp, assim será mais fácil e rápido o atendimento”, explica.

Silvani Silva, Coordenadora de Agricultura da Prefeitura, voluntária na ação e intermediária entre artistas e produtores, conta que foram aproximadamente 200 cestas entregues na primeira semana por cada um dos produtores. “É uma ação muito positiva, pois todo mundo se ajuda e todos são trabalhadores que ou estão impossibilitados de trabalhar ou tiveram uma queda muito grande em suas vendas”.

As cestas, de modo geral, são compostas por: alface (crespa, americana e lisa), chicória, agrião, cheiro verde, couve, abobrinha, batata doce, beterraba, tomate, berinjela, mamão, cenoura, quiabo, vagem, limão, pepino japonês, goiaba, laranja e pokan. O valor de cada uma é R$ 35,00. “As pessoas estão perguntando porquê a cesta de hortifrutis do assentamento está tão barata! É simples: porque vai diretamente do produtor para a casa do consumidor, sem ninguém atravessar o processo”, apontou Tania.

Na primeira semana o projeto contou com seis artistas “sócios” de cinco produtores. Agora, outros cinco associados somam-se ao Agri Cultura, totalizando dez fornecedores. Para agendar com o artista e receber em sua casa a cesta de produtos frescos da horta, ligue para: 99722-6131 (Luciano), 99704-7604 (Paula), 99773-3978 (Almir), 99195-5107 (Marcio), 99704-3727 (Nalini), 99705-4116 (Maiara), 99182-9638 (Denise) e 99646-0565 (Tania).

Vale lembrar que os produtores que participam do projeto são oriundos do Assentamento Bela Vista: Horta do Dinei, Horta do Gui, Horta da Lu, Horta da Fátima, Horta do Ney, Horta do Alex, Horta da Roberta e Horta do Almir.

Importante destacar que as entregas são realizadas de segunda à sábado, no horário comercial. Geralmente a entrega é realizada dois dias após o pedido. Quanto ao pagamento pode ser feito em dinheiro, cartões de crédito ou débito (importante consultar a disponibilidade na hora de fazer o pedido).

Silvani lembra que o projeto estuda alguns desdobramentos na formação dessa rede. “Também ampliaremos o projeto com parcerias de produtores de ovos, cogumelos e embutidos. Teremos uma nutricionista, a Lali Lázari, realizando lives em redes sociais sobre os produtos oferecidos na cesta, com dicas saudáveis para o aproveitamento de tudo que é oferecido”.

Também, Silvani lembra que o projeto tem uma preocupação com o uso de sacolas plásticas. “Pensamos na confecção de sacolas retornáveis para os produtores, a fim de ser uma forma alternativa contra a poluição do meio ambiente. O projeto está ficando maior do que a gente esperava, então temos que mensurar os impactos também!”.

Importante também destacar a colaboração do Sebrae, com o Aurélio e o Lee, que estão  fazendo a arte do projeto.