Prêmio “Mulheres que Empreendem” homenageia Fúlvia Magrini

Edital irá premiar iniciativas empreendedoras de mulheres cujos trabalhos foram prejudicados pela pandemia

1186

Quando o assunto é empreendedorismo feminino, certamente o nome de Fúlvia Magrini é um dos escolhidos pelos araraquarenses, já que a empresária construiu um império na cidade, com muito trabalho e dedicação. Batalhadora e admirada, a empreendedora do setor de beleza teve sua vida interrompida no último dia 2, devido às complicações da Covid-19.

A fim de prestar uma homenagem ao trabalho e à pessoa Fúlvia Magrini, a Prefeitura de Araraquara, com autorização da família, lança um edital que irá premiar iniciativas empreendedoras de mulheres cujos trabalhos foram prejudicados pela pandemia: é o “Prêmio Fúlvia Magrini: Mulheres que Empreendem 2021”.

O edital é fruto do trabalho realizado por meio da Coordenadoria Executiva de Políticas para as Mulheres, da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Participação Popular e da Coordenadoria Executiva de Trabalho e Economia Criativa e Solidária (CETECS), da Secretaria Municipal de Trabalho, Desenvolvimento Econômico e Turismo. Vale destacar que o edital atende a Lei Municipal nº. 9.263, de 09 de maio de 2018, que institui o Plano Municipal de Políticas Públicas para a Mulher.

O Prêmio “Empresária Fulvia Magrini – Mulheres que Empreendem” 2021 vai selecionar e premiar mulheres empreendedoras e Empreendimentos Econômicos Solidários (EES) compostos por uma maioria de participantes mulheres. Serão 12 prêmios individuais a Mulheres Empreendedoras e 4 prêmios para EES compostos por uma maioria de participantes mulheres.

Fomentar negócios – O principal objetivo do prêmio é fomentar micros ou pequenos empreendimentos, formais ou não formalizados, como alternativa de geração de renda às mulheres cujo trabalho ou negócio foi afetado pela pandemia da Covid-19 em 2020 e 2021.

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), 7 milhões de mulheres deixaram o mercado de trabalho na segunda quinzena de março, logo no começo da pandemia, ante 5 milhões de homens.

A situação também é difícil para as que têm um trabalho. Segundo uma pesquisa do Datafolha, divulgada em agosto de 2020, 57% das mulheres que passaram a trabalhar remotamente disseram ter acumulado a maior parte dos cuidados domésticos. Entre homens, o percentual foi de 21%. Ainda segundo a pesquisa, intitulada “Sem parar: o trabalho e a vida das mulheres na pandemia”, metade das mulheres se responsabilizou pelo cuidado de outra pessoa ou ofereceu algum tipo de apoio, seja um familiar (80,6%), um amigo (24%) ou um vizinho (11%).

Somadas às dificuldades para obtenção de emprego no mercado de trabalho formal, o isolamento social também acarretou grandes prejuízos para a geração de renda oriunda de iniciativas empreendedoras na medida em que eventos públicos como as feiras livres, por exemplo, que se constituíam em espaços prósperos para a comercialização de produtos artesanais ou manufaturados, foram suspensos.

Nesse sentido, tendo em vista o atual cenário de crise econômica decorrente da pandemia da COVID-19 – especialmente deletério em nosso município –, bem como ante o fato de que a recuperação das atividades econômicas levará muito mais tempo do que o inicialmente previsto, necessário destacar o aumento da importância da referida premiação: o empreendedorismo constitui um importante instrumento que possibilita a geração de trabalho e renda para as mulheres.

Geração de renda – O prêmio “Empresária Fulvia Magrini – Mulheres que Empreendem” 2021 visa fomentar a geração de renda de iniciativas empreendedoras coordenadas por mulheres, por meio da premiação em recursos para a estruturação e fortalecimento de empreendimentos impactados pela pandemia, bem como oferecer suporte na gestão de negócios pela IPECS – Incubadora Pública de Economia Criativa e Solidária, subordinada à Coordenadoria Executiva do Trabalho e de Economia Criativa e Solidária (CETECS).

A premiação efetivamente se presta a minimizar os efeitos negativos dos ciclos econômicos e do desemprego estrutural sobre o mercado de trabalho – especialmente agravados pela pandemia da COVID-19 –, assim como propor medidas que visem garantir ou ampliar o empreendedorismo feminino.

Participação – As inscrições serão recebidas nas seguintes modalidades: Microempreendedora Individual (MEI) – Urbana ou Rural; ou Empreendimento Econômico Solidário (EES): Associação, Cooperativa ou Coletivo de Empreendedoras que possuam, no mínimo, 60% de seu quadro composto por mulheres e que sua diretoria possua, no mínimo, 60% de mulheres em sua composição.

As inscrições estarão abertas no período de 08 de março a 19 de março de 2021, sendo feitas exclusivamente por e-mail, através do endereço: premiofulviamagrini@gmail.com.

O email de inscrição deverá conter todos os anexos discriminados no edital, que estará disponível no site da Prefeitura de Araraquara (www.araraquara.sp.gov.br).

Uma comissão designada irá selecionar as propostas, considerando: assertividade no investimento dos recursos; viabilidade na realização da proposta, cumprimento de prazos, valores e objetivo do edital; solidez do empreendimento; comprovação da atuação pregressa do empreendimento ou da proponente; maior dificuldade para comercialização em virtude da pandemia; responsável por toda ou maior parte da renda familiar (representando 60% ou mais da renda familiar); e número de dependentes (Ex: idosos, crianças menores de 14 anos, pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida).

O resultado será divulgado pelo site oficial da Prefeitura do Município de Araraquara no próximo dia 29 de março.

Prêmios – Serão premiadas as propostas vencedoras da seguinte forma: 12 prêmios de R$ 5 mil para MEI, e 04 prêmios no valor de R$ 7,5 mil para EES.

Todas as empreendedoras e EES premiadas receberão gratuitamente suporte na gestão de negócios pela IPECS (Incubadora Pública de Economia Criativa e Solidária, subordinada à Coordenadoria Executiva do Trabalho e de Economia Criativa e Solidária (CETECS) por meio de parcerias com o SEBRAE dentro do Programa “SEBRAE Delas” e receberão gratuitamente o curso SEBRAE” Enfrenta”.