Prefeitura utiliza Kombi danificada para transporte de passageiros ao Assentamento Monte Alegre

Desde março, vereador Rafael de Angeli fiscaliza readequação da linha de transportes de passageiros

87

Desde o dia 12 de julho do ano passado, ao invés de um ônibus, uma perua Kombi avariada tem sido utilizada para transportar passageiros ao Assentamento Monte Alegre, cujo itinerário da linha é operado pela Viação Paraty, concessionária de transporte público contratada pela Prefeitura. Além disso, há denúncias de que o motorista estaria utilizando o veículo também para fins particulares. Essas informações constam do Requerimento nº 536/2021, de autoria do primeiro secretário da Câmara Municipal de Araraquara, vereador Rafael de Angeli (PSDB), em que cobra explicações da Prefeitura.

As mudanças na linha já haviam sido questionadas pelo parlamentar em março, por meio do Requerimento nº 263/2021. Na ocasião, a Controladoria de Transportes de Araraquara (CTA) informou que, devido à pandemia e à baixa demanda de passageiros, o ônibus foi substituído por veículo utilitário menor, modelo Kombi, mas seguia circulando todos os dias úteis, em dois horários: às 9h, no sentido Araraquara, e, às 16h, no sentido Assentamento.

No documento atual, Angeli questiona se foi aberto processo administrativo para apurar os danos do veículo e também o valor pago pelo Município para ter o serviço no itinerário. Sobre as denúncias de uso do veículo para fins particulares, o vereador requer o controle de itinerário feito pelo motorista e cópias das datas de abastecimento, com informações sobre quilometragem e litros de combustível abastecidos. Angeli também pergunta se o veículo é utilizado para outros fins e se o motorista fica em posse da Kombi 24 horas por dia, inclusive aos finais de semana.

“Recebemos fotos e vídeos do veículo parado em uma lotérica em frente ao Parque Infantil e também em um estacionamento irregular, sobre uma faixa de pedestres, na Avenida Brasil, esquina com a Rua Padre Duarte. Isso precisa ser apurado, solucionado e explicado com urgência, pois não se pode usar um veículo oficial como e quando quiser e sem seguir as normas básicas de trânsito”, explica e cobra Angeli.