Prefeitura responde a denúncia sobre respiradores no Hospital de Campanha

O vereador Lineu de Assis (Podemos) registrou um Boletim de Ocorrência alegando que foi impedido de entrar no local onde estariam os equipamentos

378

Uma denúncia a respeito de respiradores que estariam armazenados em uma espécie de depósito nas dependências do Hospital de Campanha de Araraquara, gerou uma grande polêmica na noite dessa sexta-feira (25).

Um empresário, que é ligado a partidos que fazem oposição ao prefeito Edinho Silva (PT), fez a denúncia em suas redes sociais e o também opositor a Edinho, o vereador Lineu de Assis (Podemos), foi até o local para averiguar. Também através das redes sociais, o vereador relatou que foi bem recebido pelos funcionários do hospital, porém, teria sido impedido por um superior de entrar na sala onde estariam armazenados os supostos equipamentos que usados pelos pacientes que estão na UTI.

O vereador conta que procurou o presidente da Câmara Municipal de Araraquara, o vereador Aluisio Boi (MDB) que teria tentado intervir, mas também sem sucesso. Em seguida, Lineu foi até a Delegacia de Plantão e registrou um Boletim de Ocorrência contra a Prefeitura de Araraquara, alegando que teve seu dever de fiscalizar cerceado.

“A cidade quer saber, as pessoas têm o direito de saber, pois a cidade não é do prefeito, a cidade não é da Prefeitura, não é dos vereadores, a cidade é dos munícipes e eles merecem ter todos os esclarecimentos que envolvem a cidade”, resumiu o vereador.

Guerra política

A Prefeitura se pronunciou a respeito do fato que chamou de “guerra política” e que foi usado para manipulação.

Veja a nota na íntegra:

“Chega de guerra política, é hora de salvarmos vida

Imagens de almoxarifado do Hospital de Solidariedade é usado para manipulação política

Em relação às imagens divulgadas do Hospital de Solidariedade que circulam nas redes sociais, a Prefeitura Municipal esclarece que o local é um almoxarifado, que foi improvisado após a necessidade de aumento de leitos; o antigo almoxarifado está ocupado com novos leitos para salvar vidas.

Vale esclarecer que não se tratam de respiradores, conforme dito na publicação. São caixas vazias de monitores e outros aparelhos utilizados na unidade hospitalar, além de carrinhos de anestesia que não estão sendo utilizados neste momento, mas servem de suporte para o hospital.

Em relação às camas hospitalares, estas foram substituídas por camas em melhores condições; a unidade está em operação tem mais de um ano, as trocas são cotidianas. O conserto dessas camas que estão neste depósito já foi solicitado, está em fase de compra e em breve será efetuado.

Imagens como estas, divulgadas sem a checagem correta da informação, só servem para a disputa político partidária, sem escrúpulos e ética. Não compartilhe mentiras.

O hospital de campanha tem salvado vidas e não merece esse tipo de ataque. As trabalhadoras e trabalhadores da saúde, que lá estão, não merecem ser atacados dessa forma”, diz a nota.