Prefeitura reforça ações de combate à dengue; casos caíram 83% este ano

Mesmo controlada, dengue requer atenção constante e o combate ao mosquito Aedes aegypti

25

A Secretaria Municipal de Saúde retoma nesta quarta-feira (3) as atividades de combate ao mosquito da dengue, que estavam paralisadas nos últimos sete dias em razão do período mais restritivo de circulação de pessoas por causa da pandemia de Covid-19.

Com isso, voltam às ruas as equipes da Vigilância em Saúde responsáveis pelas atividades de bloqueio, casa a casa, nebulização e visita a pontos estratégicos da cidade. O objetivo é evitar a proliferação do mosquito da dengue e impedir o crescimento do número de casos da doença.

Este ano o município registrou 17 confirmações de dengue. Em 2020, no mesmo período, foram contabilizados 104 casos, uma redução de 83%.

O coordenador da Vigilância em Saúde, Rodrigo Ramos, ressalta a importância da retomada dos trabalhos para reforçar o combate à dengue, mesmo com a diminuição do número de casos. “Nesses sete dias em que as equipes ficaram paradas, tivemos quatro casos de dengue confirmados, por isso a população deve continuar atenta e se conscientizar sobre como eliminar os criadouros do mosquito transmissor”, explica.

Dessa forma, mesmo controlada na cidade, a dengue requer atenção constante e o combate ao mosquito Aedes aegypti precisa da colaboração da população, que deve manter sempre limpos os quintais e terrenos, eliminando qualquer tipo de objeto que possa acumular água e virar criadouro do mosquito da dengue. Também é importante colocar desinfetante nos ralos, limpar lajes e calhas, tratar a água da piscina, manter caixas d’água, poços, latões e tambores bem fechados, e não jogar lixo em terrenos baldios.

Ramos pede também que a população colabore com as equipes que fazem o monitoramento das 920 armadilhas instaladas em toda a área urbana de Araraquara. Os equipamentos – instalados no início do ano passado – têm papel fundamental na redução dos casos da doença.

“Precisamos que as pessoas recebam os agentes que fazem o monitoramento das armadilhas, pois é isso que nos possibilita trabalhar com precisão nos locais onde há maior foco de fêmeas adultas do mosquito, pois são elas que transmitem a doença. E esse trabalho tem ajudado muito no controle dos casos”, diz.

Vale destacar que em todo o ano passado foram registrados 231 casos de dengue em Araraquara, 99% menos que os 23.134 contabilizados em 2019.

Como eliminar criadouros:

  • Limpar as calhas e lajes das casas. Se houver piscina, a água deve estar sempre tratada.
  • Manter as caixas d’água, poços, latões e tambores bem fechados.
  • Guardar garrafas vazias de boca para baixo.
  • Eliminar a água acumulada em plantas, como bambus, bananeiras, bromélias, gravatás, babosa e espada de São Jorge, dentre outras.
  • Entregar pneus inutilizados para a limpeza pública ou conservá-los em locais protegidos da água da chuva.
  • Verificar se existem pneus, latas ou qualquer outro objeto que possa acumular água nos terrenos baldios.
  • Identificar na vizinhança a existência de casas desocupadas e terrenos vazios, e localizar os donos para verificar se existem criadouros do Aedes aegypti.
  • Não jogar lixo em terrenos baldios.
  • Manter o lixo tampado e seco até seu recolhimento para destinação adequada.
  • Tampar as garrafas antes de colocá-las no lixo.
  • Separar copos descartáveis, tampas de garrafas, latas, embalagens plásticas e tudo o que possa acumular água. Fechar bem em sacos plásticos e colocar no lixo.
  • Evite, sempre que possível, o uso de pratos nos vasos de plantas. Caso opte pela utilização, não deixe acumular água neles: coloque areia preenchendo o prato até sua borda ou lave-o, semanalmente, com bucha e sabão, para eliminar completamente os ovos do mosquito.
  • Lave os bebedouros de animais com escova, esponja ou bucha e troque sua água, pelo menos, uma vez por dia.