Prefeitura arcou com 71% das despesas de combate à Covid-19 em 2021

Outros 14% dos recursos são de repasses federais, 12% estaduais e 3% do Fundo Municipal de Saúde; no ano passado, dinheiro federal correspondeu a 56% dos investimentos

20

De cada R$ 100 utilizados nas ações de combate à pandemia da Covid-19 em Araraquara neste ano, até o último dia 13 de agosto, R$ 71 saíram dos cofres públicos do Município. Outros R$ 14 vieram do Governo Federal, R$ 12 do Governo do Estado e R$ 3 do Fundo Municipal de Saúde. Os dados constam em balanço da Secretaria de Governo, Planejamento e Finanças.

As estatísticas são diferentes do ano de 2020, quando a pandemia começou. No ano passado, os recursos enviados pelo Ministério da Saúde e por outros órgãos do Governo Federal representaram 56% dos investimentos no enfrentamento da pandemia em Araraquara. Recursos do Município eram 32%, do Fundo Municipal de Saúde eram 8% e do Governo do Estado eram 4%.

Em 2020, R$ 54,6 milhões foram empenhados nas despesas de combate à Covid-19 no município. Neste ano, já são R$ 65,5 milhões.

O aumento de despesas se deve à circulação da variante P.1, em fevereiro, o que causou um crescimento expressivo de casos, internações e óbitos e necessitou de ampliação da estrutura de enfrentamento à doença — com o isolamento social e a vacinação, esses números estão em queda acentuada nas últimas semanas.

“A Prefeitura até tentou se planejar, mas a nova cepa do coronavírus fez a gente reorganizar todo o Orçamento e focar quase todos os recursos do Tesouro Municipal na pandemia. No primeiro semestre deste ano, nós garantimos o básico das outras políticas públicas e direcionamos a maior parte dos recursos próprios para a Saúde”, diz a secretária de Governo, Planejamento e Finanças, Juliana Agatte.

Entre os investimentos feitos neste ano estão a abertura de novos leitos para internação, ampliação da despesa com medicamentos e com testagem e implantação de fábrica de oxigênio no Hospital da Solidariedade (hospital de campanha) e na unidade de retaguarda do Melhado.

Ações de outras secretarias, mas também vinculadas à Covid-19, estão incluídas nessas despesas. É o caso da aquisição de alimentos para a Rede de Solidariedade atender famílias em vulnerabilidade social agravada pela pandemia, de compra de máscaras, álcool gel e EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), de adequações de espaços públicos para atendimento, entre outras medidas.

“O Município teve que investir muitos recursos próprios para poder enfrentar a pandemia. Precisamos fazer uma estrutura além do que já tínhamos no início de 2020. Foram grandes investimentos e que realmente valeram a pena, porque muitas vidas foram salvas através da nossa capacidade de resposta rápida no enfrentamento da pandemia”, analisa a secretária de Saúde, Eliana Honain.

A Fungota — fundação municipal que administra a Maternidade Gota de Leite, as três UPAs, o hospital de campanha e a unidade do Melhado — utilizou R$ 8,9 milhões (repassados pela Prefeitura) no combate à Covid-19 em todo o ano de 2020. Neste ano, até o final de junho, foram R$ 23,7 milhões, aumento de 166% — e com o segundo semestre ainda pela frente.

“Com a variante P.1, precisamos ampliar o hospital de campanha e o Melhado. Passamos de 25 para 50 leitos no Melhado. No hospital de campanha, passamos de 31 para 41 leitos de enfermaria e de 20 para 30 leitos de UTI. Isso inclui mais médicos 24 horas, fisioterapeutas, enfermeiros, técnicos de enfermagem”, explica Lúcia Ortiz, diretora-executiva da Fungota.

“Também ampliamos o número de médicos na UPA da Vila Xavier, as equipes de testagem, as equipes de monitoramento dos pacientes contaminados, as equipes de testes nas escolas e nos estabelecimentos comerciais, entre outros investimentos”, complementa a diretora.

Estrutura

Com toda essa estrutura montada para enfrentar a pandemia, Araraquara já realizou 231.262 testes de Covid-19 desde o ano passado até a última segunda-feira (23), incluindo testes em pacientes sintomáticos (que procuram as unidades de saúde) e a busca ativa por pessoas assintomáticas.

Isso significa uma taxa de testagem de 97.030 testes por 100 mil habitantes, bem acima dos índices estadual (42.470/100 mil hab.) e nacional (26.404/100 mil hab.).

O polo de triagem da UPA da Vila Xavier já realizou 97.026 atendimentos. O hospital de campanha recebeu 1.731 pacientes que precisaram de internação, enquanto outras 570 pessoas com Covid-19 foram internadas no Melhado. E o Disque-Saúde, serviço de telefone disponibilizado para orientações à população, atendeu 23.001 ligações.

Araraquara também possui nove pontos de vacinação contra a Covid-19: os drive-thrus do Sesc e Cear (antigos pavilhões da Facira), além do Sesa, das unidades de saúde da Vila Xavier, do Jardim Iedda, do Vale do Sol, do Assentamento Bela Vista, de Bueno de Andrada e do estacionamento da UPA do Valle Verde.

Até esta quarta-feira (25), segundo o Vacinômetro do Governo do Estado, 262.325 doses já foram aplicadas, sendo que 175.858 pessoas tomaram a 1ª dose e, dessas, 80.461 já receberam também a 2ª dose. Outras 6.006 pessoas foram imunizados com a vacina de dose única. Isso representa 73,78% dos araraquarenses já vacinados com pelo menos uma dose e 36,28% imunizados totalmente (com duas doses ou única).