Prefeitura amplia estrutura de atendimento à Covid-19 no Pronto-Socorro do Melhado

Unidade de retaguarda atenderá pacientes com problemas renais por complicações da Covid-19; Edinho recebeu jornalistas na Prefeitura nesta terça (2)

29

O prefeito Edinho informou nesta terça-feira (2), durante coletiva de imprensa a jornalistas, que a Prefeitura está ampliando a estrutura instalada no Pronto-Socorro do Melhado para o atendimento de pacientes com Covid-19. Está sendo contratado um aparelho para hemodiálise a ser instalado na unidade de retaguarda.

Edinho, a secretária de Saúde, Eliana Honain, e a secretária da Educação, Clélia Mara dos Santos, receberam representantes dos veículos de imprensa de Araraquara e responderam perguntas sobre a pandemia e outros assuntos de interesse do município.

“Nós estamos contratando um aparelho de hemodiálise, que é um equipamento típico de UTI [Unidade de Terapia Intensiva]. Às vezes, o paciente não precisa estar intubado, mas precisa de um apoio por insuficiência renal. Estamos contratando esse aparelho para o Pronto-Socorro do Melhado”, declarou o prefeito.

A unidade do Melhado já possui um tomógrafo, equipamento fundamental para verificar a situação dos pulmões e do sistema respiratório, que é o mais afetado pela Covid-19. Uma usina de produção de oxigênio também será instalada no local.

“Depois dos problemas respiratórios, a complicação que mais ocorre no paciente grave de Covid-19 é problema renal. Nós optamos por instalar esse equipamento no Melhado, porque o local possui uma estrutura mais adequada para isso”, afirma Eliana Honain.

Na entrevista, Edinho ainda reforçou que Araraquara enfrenta o pior momento da pandemia em número de novos casos e internações, mas negou que o município tenha falta de leitos para internação no momento. O prefeito pediu para que a população não acredite e não reproduza notícias falsas, as ‘fake news’.

“Araraquara vive o pior momento desde que estamos enfrentando a pandemia. É algo nosso? Não. É algo do mundo. Principais potências econômicas do planeta sucumbindo diante de um vírus, regiões do Brasil com pessoas morrendo sem assistência médica. O quadro é grave. Os hospitais particulares de Araraquara estão com muita dificuldade, assim como os hospitais públicos. Estamos chegando a uma marca preocupante, mas, mesmo assim, temos 63% dos leitos de enfermaria e 61% dos leitos de UTI ocupados. O quadro é grave, mas não existe falta de leitos. Isso não é verdade”, declarou o prefeito.

“Sempre lidamos com a pandemia com transparência, e por isso conduzimos tão bem a pandemia até agora. Nós nunca iríamos omitir a realidade de Araraquara. Os leitos são monitorados pelo DRS [Departamento Regional de Saúde], pelo Governo do Estado e pelo Ministério da Saúde”, complementou.

Segundo Edinho, os cuidados de prevenção da Covid-19 devem ser redobrados. “Mudou o perfil das pessoas internadas. A faixa etária diminuiu. Temos pessoas se agravando em uma faixa etária menor, o que antes era uma característica dos idosos. Os médicos suspeitam que seja a nova cepa do vírus, que sofreu mutação. Temos que redobrar nossos cuidados para conter o ritmo de contaminação. Vamos continuar seguindo as orientações da ciência. É isso que nos trouxe até aqui, com a menor letalidade do estado de São Paulo, e é isso que vai nos conduzir neste momento difícil que estamos passando”, destacou.