Pesquisa mostra queda de 17,6% na confiança do empresário de SP

O agravamento da pandemia e as revisões do Plano São Paulo impactaram gravemente as vendas e expectativas futuras dos empresários

33

O índice IFECAP, que mede a expectativa do empresário do comércio do Estado de São Paulo, registrou forte queda de 17,6%, para o mês de março, em comparação com fevereiro. O agravamento da pandemia e as revisões do Plano São Paulo impactaram gravemente as vendas e expectativas futuras dos empresários.

O Índice Geral registrou 93,05 pontos, na série sem ajuste sazonal. O resultado indica o pessimismo dos empresários paulistas – desde agosto de 2020, o índice se encontrava superior aos 100 pontos. Em relação ao março de 2020, o Índice Geral se encontra 8,6% abaixo do registrado naquele mês.

Índice Momento Atual: apresentou queda de 14,9%, na comparação com o mês de fevereiro, registrando 84,29 pontos. O indicador também permanece abaixo dos 100 pontos, o que indica pessimismo. O resultado foi influenciado pelas vendas e encomendas, 20,03% e 9,54% abaixo do verificado em fevereiro de 2021, respectivamente. A situação geral dos negócios (-14,87%), também retraiu quando comparado com o mês anterior.

Este índice diz respeito às respostas dos empresários sobre as suas encomendas atuais, realizadas junto a seus fornecedores; a evolução das vendas no período atual; e a avaliação da situação geral dos negócios.

Índice Futuro: os resultados, que registram as expectativas para os próximos três meses, apresentou a maior queda, na comparação com o mês anterior (-20,6%), registrando 106,17 pontos, contudo, foi o único indicador com resultados acima dos 100 pontos.

Quando comparado com o mesmo mês do ano anterior, o valor se encontra 5,49% acima – uma possível explicação pode ser dada pela existência (ação) de um programa de vacinação.

Os resultados se devem, principalmente, às expectativas de vendas para os próximos três meses, com queda de 25,50% (102,47 pontos), quando comparamos com o mês anterior. As expectativas de encomendas futuras tiveram uma queda de 15,41% (quando comparado com fevereiro de 2021), alçando 109,88 pontos.

Este índice é calculado com base nas expectativas dos empresários em relação às suas vendas e encomendas em um horizonte temporal de 3 meses.

Índice Geral: os resultados do IFECAP, por região, demonstram uma queda de 21,97% do Índice Geral, na capital; e de 15,95% no interior, quando comparado com o mês anterior. A cidade de Santos apresentou uma menor retração (-12,03%).

Este índice é o indicador composto pela agregação dos dois índices descritos acima (Índice Momento Atual e Índice Futuro).

Outras informações adicionais

A coleta do IFECAP ocorreu entre os dias 08 e 18 de março de 2021. Os contatos, feitos por telefone com empresários, foram dificultados pelas maiores restrições, impostas pelo Plano São Paulo:

– Plano SP – 24ª classificação: Fase vermelha em todo o estado de São Paulo, com vigência a partir de sábado (06/03);
– Fase Emergencial em todo o estado de São Paulo, entre os dias 15 e 30 de março. Esta fase aumentou as medidas restritivas em 14 atividades, colocando mais 4 milhões de pessoas em restrições adicionais (entre pessoas empregadas e movimentadas).

Diante do exposto acima, somado com medidas municipais de restrição, tivemos uma redução de 16,21% do número de coletas (com sucesso), sendo que a maior parte das informações foram de atividades de serviços considerados essenciais.

Índice FECAP de Expectativa nos Negócios

Composto pela compilação de informações sobre as empresas do comércio varejista do Estado de São Paulo, o IFECAP considera o desempenho atual das vendas a clientes e das encomendas a fornecedores, bem como a avaliação geral da situação atual do negócio. O índice avalia ainda informações sobre as expectativas dos empresários quanto às vendas e encomendas para os próximos três meses.

O IFECAP

Índice FECAP de Expectativa nos Negócios consiste em um indicador baseado em metodologia largamente utilizada por diversos países. Há mais de 12 anos, a FECAP coleta dados e calcula mensalmente o índice, que avalia a situação atual das empresas do comércio varejista, com informações sobre o desempenho atual das vendas e das encomendas.

A escolha do comércio varejista como universo da pesquisa se deve ao fato de ser esse setor o elo entre a indústria em geral e o consumidor final, uma vez que grande parte da produção de todos os setores da economia acaba circulando de alguma forma pelas empresas do comércio. Seu principal uso refere-se à previsão do nível de atividade da economia, isto porque o índice procura avaliar a expectativa real dos empresários em relação às variáveis chaves, como encomenda a fornecedores e venda ao consumidor final, ou seja, a antecipação do comportamento da produção e renda.

O IFECAP é composto pela compilação de informações sobre o desempenho atual das vendas e das encomendas, bem como a avaliação sobre a situação atual das empresas do comércio varejista. Consideram-se ainda informações sobre a expectativa dos empresários quanto ao desempenho das vendas e das encomendas para os próximos três meses.

Metodologia

A metodologia do IFECAP considera um conjunto de perguntas qualitativas referidas às expectativas do empresário. São pesquisadas diversas empresas do comércio varejista nas cidades de São Paulo.

A pesquisa é sempre realizada na semana do dia 15 do mês corrente, composta por questões qualitativas, que captam a percepção do empresário em relação ao desempenho de sua empresa, classificadas em microempresas, pequenas, médias e grandes empresas.