Pediatra pontua a relevância da amamentação nos mil primeiros dias de vida do bebê

O assunto é reforçado pela Unimed Araraquara nesta Semana Mundial do Aleitamento Materno com uma série de reportagens especiais sobre o tema

38

Os 270 dias de gestação, somados aos 730 dos dois anos subsequentes dão origem a fase mais importante para o desenvolvimento físico e mental do ser humano. Dentro da pediatria, esses são os primeiros mil dias de vida, extremamente importantes na vida de uma criança.

Segundo a pediatra e nutróloga Dra. Regina Furtado, da Unimed Araraquara, essa etapa é fundamental para o desenvolvimento dos sistemas nervoso e imunológico do bebê, bem como a formação de bons hábitos alimentares, que aumentarão as chances de ele se tornar um adulto saudável.

Dentro deste panorama, a médica destaca a importância da amamentação, reforçada pela Unimed Araraquara nesta Semana Mundial do Aleitamento Materno (SMAM) com uma série de reportagens especiais sobre o tema.

Estudos mostram que essa alimentação exclusiva dos bebês até os 6 meses de vida vai muito além da nutrição: ela também reduz o risco do desenvolvimento de obesidade e doenças cardiovasculares em sua fase adulta.

“Nesse período, os lactentes triplicam o peso do nascimento ainda no primeiro ano de vida. Por isso, uma dieta balanceada para a criança, com o acompanhamento profissional, é um fator decisivo em todo o processo. Somente um médico pode ponderar os riscos e impactos da substituição do leite materno”, completa a pediatra.

De acordo com a Dra Regina, amamentar fortalece ainda mais as relações entre mãe e filho, afinal, carinho, afeto e contato físico são essenciais para estreitar esses laços.  “As experiências vividas na primeira infância afetam a formação do cérebro da criança em áreas relacionadas com a empatia e as emoções”, finaliza a médica.