‘Orientações sobre uma amamentação adequada começam no Pré-Natal’, alerta pediatra da Unimed

Nesta segunda reportagem da Unimed Araraquara sobre o tema dentro da Semana Mundial do Aleitamento Materno (SMAM), o Dr.Jacinto Gonçalves da Silva dá dicas valiosas para a saúde e o bem estar da mamãe e do bebê

14

O aleitamento materno traz vários benefícios para a mãe e o bebê. Além do fortalecimento do vínculo afetivo entre os dois, é um alimento fundamental para garantir a prevenção de doenças no futuro, visando uma melhor qualidade de vida. O ideal é que ele aconteça de forma exclusiva e em livre demanda até o sexto mês de idade.

Neste segundo capítulo da série de reportagens especiais da Unimed Araraquara dentro da Semana Mundial do Aleitamento Materno (SMAM), o Dr. Jacinto Gonçalves da Silva, pediatra da cooperativa, pontua que as orientações para uma amamentação mais adequada começam durante o Pré-Natal, em consultas da gestante com o pediatra.

“É importante que a mãe saiba das transformações da mama, que faça o banho de sol durante a gestação, bem como se informe como proceder quando amamentar. O estímulo a sucção, o mais precoce possível (logo ao nascimento), é fundamental para que aconteça o reflexo da descida do colostro o mais rápido possível”, comenta.

Segundo o médico, para facilitar a mamada, o bebê tem que estar posicionado de frente para a mãe (barriga com barriga) com a face na posição de frente para a mama. A aréola deve estar bem flácida, realizando a ordenha, se necessário, para que ela e o mamilo sejam introduzidos na boca. E, finalmente, os lábios devem estar evertidos (voltado para fora) e com o queixo encostado na mama, para que possa ocorrer uma maior eficiência na sucção.

Não existe um período de tempo determinado para os intervalos das mamadas e tão pouco a duração da mesma. A amamentação deve acontecer por fome ou sede. “Após 3,5h, ofereça o seio que o bebe não solicitou, ao menos nos primeiros dias, evitando a desidratação. Ao terminar, nunca posicione o bebê de bruços. É mais seguro deixá-lo de barriga pra cima e cabeceira elevada nas primeiras semanas de vida”, explica o especialista.

Os cuidados com a mama materna continuam os mesmos após o nascimento, evitando o uso de sabonetes no mamilo. “Tire a saliva do bebê após a amamentação e faça uma limpeza com água filtrada no local. Mantenha o banho de sol diário. As lactantes devem se hidratar, pois o aleitamento gera sede”, alerta.

FIQUE TRANQUILA

Mesmo seguindo todas as recomendações, algumas mulheres podem apresentar dificuldades na hora de amamentar. Manter a calma e a paciência são fatores essenciais. Ansiedade e cansaço físico também podem diminuir a produção láctea. Logo, descanse junto com o seu filho.

“A princípio, toda mulher pode amamentar. No entanto, embora não seja habitual, em alguns casos, ela pode não conseguir ou não se sentir confortável com a prática ou à demora da descida do leite. Caso a mãe opte por não amamentar, um pediatra deve orientá-la sobre as melhores alternativas para o bebê continuar a crescer saudável com uma nutrição adequada”, finaliza o Dr. Jacinto Gonçalves da Silva.