Não há dúvida sobre a segurança e a qualidade da CoronaVac, afirma Dimas Covas

As vacinas foram atestadas pelo laboratório de qualidade da Sinovac, na China

32

O presidente do Butantan, Dimas Covas, garantiu que a CoronaVac, vacina contra a Covid-19 feita em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, é totalmente segura e já teve sua qualidade comprovada em testes realizados pelo próprio instituto. A informação foi dada nessa quarta (8) durante a coletiva de imprensa do governo de São Paulo, no Palácio dos Bandeirantes.

“Do ponto de vista da qualidade e segurança da vacina, não existe dúvida. Elas foram atestadas pelo laboratório de qualidade da Sinovac lá na China, que é referendado pela Anvisa, pelo Butantan, que faz o controle da qualidade de todas as vacinas que entrega ao Ministério da Saúde, e pelo INCQS, que é órgão que controla a qualidade de medicamentos e vacinas no Brasil”, assinalou Dimas.

O presidente do Instituto Butantan aproveitou a oportunidade para esclarecer o que motivou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a quarentenar um lote de 12 milhões de doses da CoronaVac enviadas ao Programa Nacional de Imunizações (PNI). Segundo ele, as vacinas em questão foram elaboradas na fábrica da Sinovac que produz todo o Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) da CoronaVac e credenciadas pela Anvisa.

Devido à demanda da pandemia, a farmacêutica chinesa colocou em funcionamento várias linhas de envase – etapa em que acontece a distribuição do líquido em frascos, rotulagem e embalagem (é natural que a vacina seja produzida em um local e envasada em outro). O lote suspenso foi envasado em uma dessas linhas novas, que não havia sido visitada pela Anvisa. Quando tomou conhecimento disso, o Butantan imediatamente avisou o órgão regulatório, que optou por colocar em suspensão as doses como medida de precaução.

Dimas Covas explicou que o próximo passo é acertar com a Anvisa a certificação dessa nova unidade. O instituto já enviou documentação e novos dados serão encaminhados pela MNPA, órgão equivalente à agência regulatória na China. “Não há em nenhum momento questionamento sobre a qualidade e segurança da vacina. Existe esse procedimento documental que será acertado muito brevemente com a liberação dos lotes”, completou o presidente do Butantan.

O presidente da Fundação Butantan, Rui Curi, também esteve presente na coletiva e complementou o relato de Dimas. “O Butantan visitou a China e o complexo industrial da Sinovac, aprovou todas as etapas de produção da vacina, desde o IFA até o envase. O complexo industrial é grande e sofreu algumas modificações porque eles tiveram que aumentar a capacidade produtiva, já que a Sinovac é a maior produtora de vacinas do mundo.”

A CoronaVac é uma vacina com altíssimo perfil de segurança, inclusive podendo ser considerada uma das vacinas que menos geram reações adversas dentre os imunizantes em uso atualmente.

“É a vacina mais segura do mundo. Já tem o perfil de segurança avaliado em mais de 1 bilhão de pessoas. Esse relatório já foi produzido pela China e encaminhado à nossa Anvisa”, acrescentou Dimas. “Isso se mostra aqui no Brasil também. Comparativamente às outras vacinas, é a que tem o melhor perfil de segurança.” O presidente do Butantan lembrou também que há muitos dados disponíveis sobre a eficiência da CoronaVac, inclusive contra as novas variantes do SARS-CoV-2.

Dimas explicou que, por ser muito segura, a CoronaVac pode ser usada em crianças, como acontece na China, onde mais de 60 milhões de jovens já foram vacinados, e no Chile, onde o imunizante ganhou autorização nesta terça (7) para ser usado em crianças acima de seis anos.

“A melhor vacina é a vacina que chega no braço, e é isso que o Butantan procura fazer com a maior seriedade possível” completou o presidente do instituto.