Mulher faz protesto solitário em frente à prefeitura pela volta às aulas

Ela alega que as filhas estão com o aprendizado comprometido e com sinais de depressão

2516

Uma mulher está desde o último domingo (14), fazendo um protesto solitário e silencioso em frente à Prefeitura de Araraquara. A reivindicação é a volta às aulas presenciais.

Mãe de três filhos, sendo duas crianças, uma em idade de alfabetização, a mulher teme pelo futuro das filhas. Ela relata que constata o aprendizado comprometido, além das meninas apresentarem sinais de depressão, com choros recorrentes, variações bruscas no humor, pesadelos, comportamento agressivo, pavor em continuar estudando à distância, pavor em estudar, simplesmente. Ela ainda conta que as crianças choram de saudade dos amigos, dizem que não aguentam mais ficar em casa e, por mais que ela tente explicar, humanamente para as crianças, a situação já não se sustenta. Outra preocupação dela é o próprio emprego, pois enfrenta dificuldades em trabalhar “home office” e cuidar das crianças ao mesmo tempo, acompanhando a rotina escolar.

A pandemia tem sido devastadora para o aprendizado e bem estar das crianças e tem diminuído a participação das mulheres no mercado de trabalho.

A mãe está aproveitando sua pausa do almoço para poder fazer o protesto. Apesar de inúmeros pedidos, a mulher ainda não foi recebida pelo prefeito. Ela quer conversar e contar como tem sido sua dificuldade. Sabe que não é a única mãe em igual situação. Quer empatia, como toda família, quer trabalhar para poder continuar mantendo o sustento, entende a gravidade da situação, pois tem formação na área da saúde, mas, na percepção dela, até que a coisas se acomodem, “precisamos pensar em outra forma de fazer o enfrentamento, são 365 dias sem aula e, para a criança que tem na escola a fuga, é sobremaneira cruel, um verdadeiro crime contra a humanidade”. Ela ainda acrescenta: ” você ficaria em casa sem ter o que comer até que a vacina chegue? Essa é a realidade de muitas de nossas crianças”, finaliza.

A reportagem procurou a assessoria de imprensa da Prefeitura, mas até o momento não obteve resposta.

Foto: Divulgação