Mesmo com queda nos infectados, mortes por Covid-19 não diminuem em Araraquara

A taxa de ocupação dos leitos para Covid-19 é de 81% de enfermaria e 93% de UTI

141

Araraquara registrou nesta terça-feira (9), mais 47 casos positivos de Coronavírus o equivalente a 23% de 205 amostras analisadas na Unesp e na UPA da Vila Xavier. Além destes, mais 16 foram positivados em laboratórios da rede complementar particular, totalizando 63 novos casos. Portanto, agora são 15.640 casos em Araraquara.

Apesar da queda nos números de positivados, os óbitos não diminuem e seguem com uma média diária de 5 mortes na cidade.

Do total de confirmados, 641 permanecem em quarentena e 14.741 já saíram. Aguardam resultado de exames 381 amostras.

Hoje, 181 pacientes estão internados. Destes, 106 estão em enfermaria – 3 suspeitos e 103 confirmados. E 75 casos positivos estão na UTI. Do total de 181 internados, 136 são moradores de Araraquara e 45 são de outros municípios e foram transferidos para hospitais da cidade.

Com relação às internações nos serviços hospitalares que disponibilizam leitos para Covid-19 (públicos e privados), a cidade conta hoje com uma taxa de ocupação de 81% de leitos de enfermaria e 93% de UTI.

Hoje, a Santa Casa de Araraquara tem 17 pacientes internados com Covid-19, a Unidade de Retaguarda do Melhado tem 27 pacientes e o Hospital de Campanha tem 43 pacientes.

Foram notificados, até o momento, 258 óbitos decorrentes de Coronavírus.

Os 6 óbitos mais recentes são:        

Homem de 61 anos, com comorbidades, internado em hospital da rede pública desde o dia 27 de fevereiro.

Mulher de 75 anos, com comorbidades, internada em hospital da rede pública desde o dia 27 de fevereiro.

Homem de 80 anos, com comorbidades, internado em hospital da rede privada desde o dia 25 de fevereiro.

Mulher de 67 anos, com comorbidades, internada em hospital da rede pública desde o dia 25 de fevereiro.

Homem de 56 anos, com comorbidades, que faleceu em sua residência no dia 7 de março.

Mulher de 85 anos, com comorbidades, internada em hospital da rede pública desde o dia 24 de fevereiro.

Todos os positivados, assim como seus comunicantes, estão sendo monitorados pelas equipes da Secretaria Municipal da Saúde. O objetivo é orientar e cobrar o cumprimento da quarentena.