Menina de 13 anos submetida à retirada de tumor de ovário tem alta no dia seguinte

Procedimento exitoso foi conduzido pelo único cirurgião pediátrico robótico certificado do interior do Estado de São Paulo, Dr. Rodrigo Garcia

103

Três dias depois de completar 13 anos, Julia Mendes Chauh foi submetida à retirada de um tumor do ovário direito pela técnica de cirurgia robótica. Enquanto os pais Gisele Mendes Souza Dodi e Fabio Chauh estavam preocupados com a sua recuperação, Julia lamentava ter que faltar as aulas na escola, e as aulas de Jazz e Tecido. “Ela teve alta no dia seguinte e praticamente não sentiu dor. Esperar 15 dias para voltar à rotina a chateou”, conta brincando a mãe, satisfeita com o resultado.

A cirurgia tão bem-sucedida ocorreu no Vera Cruz Hospital e foi conduzida pelo Dr. Rodrigo Garcia, pioneiro em cirurgia pediátrica robótica no interior de São Paulo, que foi acompanhado pelo Dr. Dorival Gomide, e pelo Dr. Wail Margeotto. O Dr. Garcia, que é o único cirurgião pediátrico robótico certificado do interior do Estado, explica que o procedimento por robótica é o mais assertivo em qualquer paciente, mas ressalta que em crianças é um método ainda menos invasivo, apresenta menos chances de sangramento, diminui a dor no pós-operatório e o tempo anestésico. “O corpo da criança, por ser menor, tem um campo de ação reduzido pro cirurgião. Mas esse fator não representa diferença ou qualquer dificuldade para o robô, que tem mobilidade e precisão sob medida com extrema precisão”, enfatiza o Dr. Garcia.

Entre tantos outros benefícios ao paciente, há ainda a vantagem do robô permitir uma visão em alta definição para o médico e maior escala de mobilidade, o que acaba refletindo no bem-estar do paciente e sucesso do procedimento. Essa modalidade proporciona incisões menores, destreza no movimento, menor trauma cirúrgico ou complicações e alta precoce. Segundo o especialista, a tecnologia oferece visibilidade tridimensional em alta resolução e filtra tremores. “A cirurgia é controlada por um médico habilitado ao manejo do robô. De posse de toda a capacidade tecnológica, operamos com toda a segurança”, destaca Garcia.

Segundo Gisele, que é analista comercial, a filha Julia apresentou um incômodo abdominal e uma ressonância magnética feita em setembro mostrou o tumor no ovário. “Fomos apresentados pelo Dr. Wail, meu ginecologista, ao cirurgião robótico Dr. Rodrigo Garcia e a decisão sobre este modelo de cirurgia aconteceu já na primeira conversa. O Dr. Garcia é muito atencioso, faz questão de tirar todas as dúvidas e tem um atendimento espetacular, antes, durante e depois do procedimento”, conta Gisele.

O Dr. Garcia explica que a cirurgia de Julia foi resolutiva, durou em torno de uma hora e agora ela só precisa fazer exame de sangue daqui a três meses e, depois, anualmente. No caso da adolescente, em comparação à cirurgia convencional, o procedimento robótico durou metade do tempo, exigiu incisões muito menores, não apresentou sangramento e praticamente nenhuma chance de hérnia incisional, entre outros benefícios.

Sobre o Dr. Rodrigo Garcia

Graduado na Faculdade de Medicina de Jundiaí, fez residência médica em Cirurgia Geral na Santa Casa de Misericórdia de Campinas e em seguida especializou-se em Cirurgia Pediátrica pela PUC-Campinas. Atuou como cirurgião em quase todos os hospitais de Campinas. Habilitado em Cirurgia minimamente invasiva, com ênfase em cirurgia robótica, cirurgia robótica pediátrica e cirurgia laparoscópica pediátrica. Atua ainda em cirurgias do aparelho digestivo, do aparelho urinário, do tórax, cirurgias ambulatoriais e no serviço de cirurgia de urgência pediátrica. Mestre em Ciências da Saúde pela PUC-Campinas. Foi coordenador do Serviço de Cirurgia Pediátrica do Vera Cruz Hospital por oito anos e é membro da Comissão de Ética Médica do Vera Cruz Hospital.