Marcos Bispo deixa o MDB depois de 26 anos

O presidente do Diretório local do partido, Aluísio Boi, vê saída de companheiro como perda para os quadros do partido, mas respeita a decisão

161

Marcos Augusto Bispo não é mais filiado ao MDB. Marcos foi filiado ao partido por 26 anos e, agora, deve seguir para outra agremiação.

“Hoje encerro um ciclo em minha vida. Com certeza, um dos mais importantes que já tive. Hoje chega ao fim uma história dedicada e honrada de militância em um partido político, o PMDB – atualmente MDB – sigla a qual me filiei em 24/02/1995”, ressalta.

Bispo chegou a ocupar uma cadeira na Câmara Municipal no ano de 2002, além de integrar diversas pastas no governo do ex-prefeito Marcelo Barbieri entre os anos de 2009 e 2016. Neste período, pode se destacar a atuação dele à frente do Posto de Atendimento ao trabalhador (PAT), onde trabalhou pela ampliação da oferta de empregos.

“No PAT, ajudei, com muito orgulho, a mudar para melhor a vida de milhares de pessoas. Agradeço ao ex-prefeito pela oportunidade”, ressalta.

Bispo acrescenta que deixa o MDB por motivos pessoais e, por hora, não pensa em se filiar a outro partido.

Luta pela democracia

Bispo ressalta que nos 26 anos que esteve filiado ao MDB, sempre lutou pela manutenção da democracia em nosso país e por seu aprimoramento. “Nunca me afastei de conceitos éticos, que tenho como deveres de todos que se dispõem a atuar na sociedade, como: a ética, a honestidade e a dedicação ao que me propus a fazer. Aprendi a política, vivi a política, o valor de ser homem de partido e o peso real da palavra compromisso! Minha decisão foi pensada e, a mudança, é apenas motivo de uma decisão pessoal para a sequência de minha vida. Obrigado MDB”, resumiu Bispo.

Surpresa

Para o presidente do Diretório Local do MDB, o vereador Aluísio Braz, o Boi, a saída de Bispo pegou a direção do partido de surpresa. “A saído do Marcos Bispo nos pegou de surpresa, porque ele nunca comentou que iria sair do partido e é de forma triste que a gente vê a saída dele, pois ele é um quadro, sempre atuou de forma positiva no partido. Porém, já que é uma decisão tomada, o que cabe a nós é respeitar e desejar que ele seja feliz, pois é da política e, acredito, que ele vai estar em outro partido. Ele é uma pessoa que a gente aprendeu a respeitar, que Deus abençoe ele, e espero que possa seguir sempre o caminho da boa política”, falou Boi à reportagem do O Imparcial.

Foto: Divulgação