Mais de 2.500 pacientes esperam atendimento no Crasma-A

Unidade que disponibiliza serviços de saúde mental conta com apenas oito profissionais

22

Durante a pandemia da Covid-19, a procura por serviços de saúde mental aumentou. Levando esse fato em consideração, o vereador Guilherme Bianco (PCdoB) encaminhou à Prefeitura, no dia 3 de fevereiro, o Requerimento nº 96/2021, solicitando informações a respeito do Centro de Referência de Saúde Mental do Adulto de Araraquara (Crasma-A).

“Disponibilizar serviços de saúde mental é acolher uma nova realidade em que a saúde mental se faz tão importante quanto a saúde física. Devemos garantir que todos os serviços essenciais oferecidos pelo município de Araraquara estejam em pleno funcionamento”, argumentava o parlamentar no documento, onde solicitava o número de pessoas em fila de espera para serem atendidas, além do número de médicos psiquiatras e psicólogos que atendem no Crasma-A.

Em resposta, o coordenador executivo de Assistência Especializada, Misael Henrique Emílio, informou que o Centro atualmente possui uma fila de espera de 1.160 pacientes aguardando pela especialidade de psiquiatria e 1.400 pacientes aguardando por psicologia clínica.

“Tal demanda é oriunda do aumento progressivo de transtornos mentais encaminhados da Atenção Primária, somando-se ao tempo necessário de acompanhamento de um mesmo paciente por anos ou, em muitos casos, a dificuldade de realizar a alta ou a devolução do paciente à unidade de origem”, explica o coordenador. “Ainda com o advento da pandemia, ocorreu um aumento na demanda para tratamentos dessa ordem, que não foi possível ser previsto, assim como essa grave crise sanitária”, completa.

Quanto ao número de servidores, Emílio detalha que há dois psiquiatras de 20 horas semanais, atendendo 12 consultas diárias, e seis psicólogos, estando dois afastados e um se dividindo entre assistência e gestão administrativa.

“Estamos estudando quais estratégias serão adotadas a fim de minimizar a espera pelo atendimento”, finaliza o coordenador.

Bianco também fez as Indicações nº 1.066, nº 1.067 e nº 1.068, solicitando melhorias na infraestrutura do Crasma, bem como o Requerimento nº 32/2021, questionando a contratação de psiquiatra, ainda no aguardo de resposta do Executivo.