Luna Meyer quer tornar a política mais acessível aos que não têm voz

A vereadora do PDT vê avanços, mas acha que ainda falta representatividade de vários setores da sociedade na Câmara

121

José Augusto Chrispim

A vereadora Luna Ayan Meyer do Partido Democrático Trabalhista (PDT) falou à reportagem do O Imparcial sobre o que espera de seu primeiro mandato na Câmara Municipal de Araraquara. Luna, que é natural de São Carlos e tem 40 anos, foi eleita com 1.264 votos nas últimas eleições defendendo a bandeira da causa animal.

A vereadora acredita que houve um avanço na representatividade mais ampla da sociedade na escolha da atual legislatura, mas acha que ainda falta muito para equalizar o espaço entre os homens e as mulheres na política, por exemplo. Luna diz que não vai fazer oposição radical ao governo Edinho Silva (PT), mas vai cobrá-lo toda vez que achar necessário.

Veja a entrevista na íntegra:

O Imparcial: Quais as suas expectativas para seu primeiro mandato?

Luna: “Sou uma aprendiz, estou aprendendo. Nesse primeiro mandato quero adentrar profundamente na legislação da cidade como um todo e nas principais problemáticas. O meio político é algo novo para mim e todo dia tem sido uma novidade. Estou lendo a legislação da cidade e procurando ver tudo que pode ser melhor nela, para poder cobrar mudanças com postura e propriedade. Enfim, nesse primeiro momento quero aprender tudo sobre tudo que posso mudar e começar por esses ajustes e depois disso partirmos para coisas realmente novas”.

O Imparcial: Qual é a linha política que você pretende seguir?

Luna: “Independente e coerente. Ser cobrança, fiscalização e crítica quando necessário. Ser apoio quando os projetos forem bons. Acredito na política do diálogo e da construção. Quero somar, mas também quero ser ouvida e respeitada quando estiver emitindo minha opinião, que muitas vezes é a tradução direta do desejo do cidadão Araraquarense”.

 O Imparcial: Em uma Câmara tão heterogênea, você acredita que os vários setores da sociedade estarão representados?

Luna: “Não acho que seja tão heterogênea assim, falta representatividade sim. São 18 vereadores. Quatro mulheres, sendo duas LGBTQia+. Temos duas pessoas negras. Precisamos de mais mulheres, mais negros, mais LGBTQiA+. O estereótipo do homem branco segue firme. Mas não podemos dizer que não evoluiu em relação a legislatura passada. Um dos meus projetos é tornar a política mais acessível aos que não têm voz mentorando pessoalmente essas novas lideranças”.

O Imparcial: Mesmo sendo de um partido de esquerda, você fará oposição radical ao governo ou votará a favor de projetos do Executivo, caso eles sejam positivos para a cidade?

Luna: “Esquerda é esquerda, direita é direita, certo é certo, errado é errado. Meu partido PDT, é considerado centro-esquerda. Porque sempre pregou o diálogo e construção sem extremismos. Quando o Edinho acertar, vou endossar. Quando errar, obviamente vou me opor. Estou cansada dessa divisão de lados. Somos todos uma população só e é preciso aprender a conversar e construir juntos. O Edinho foi eleito com esmagadora quantia de votos e isso deve ser respeitado, tem bons projetos, isso não faz dele imune ao erro e estarei lá para apontar, e espero de todo coração que ele tenha a humildade de ouvir e saber reparar quando necessário for. Até porque o que norteia meu posicionamento é o povo e o que é melhor para a cidade, não posicionamento político radical ou achismos pessoais. Assim como espero que todo mundo que me ver falhando aponte. Só assim melhoramos e conseguimos fazer uma política eficiente. Tendo humildade para ouvir e corrigir nossas falhas. O problema dos políticos como um todo é que eles acham que porque foram escolhidos pela população são 100% assertivos. Não, não são. O mundo muda, os problemas mudam, por mais que tenhamos um quadro formado na nossa cabeça, nem sempre estamos conseguindo ver tudo que precisa ser visto”.

O Imparcial: Fale um pouco sobre os projetos que você deseja implementar durante seu mandato. Você se elegeu sob a bandeira da defesa dos animais. Além dessa pauta, em quais outras áreas você pretende atuar?

Luna: “Obviamente irei contemplar a causa animal, mas eu sou acima de tudo, cidadã e tenho contato com toda a cidade. Como sempre digo: Serei voz para quem precisar. É só me procurar. Na pauta animal irei atuar aprimorando a legislação já existente, lutando por saúde pública para animais gratuita ou a baixo custo que não existe ainda em nossa cidade, incentivando políticas de castração, microchipagem, adoção e combate aos maus tratos e abandono. Quero também trazer o máximo de apoio aos protetores independentes. Araraquara tem muito protetor! É preciso dar apoio para essa força tarefa tão aguerrida e capacitada que já cuida e salva tantos animais por conta própria. Tenho também projetos no meio-ambiente, para tornarmos Araraquara verde e arborizada como um dia já foi, valorizar nossa fauna e flora locais que merecem respeito, lutar muito para conseguirmos nosso selo Verde/Azul de volta. Combater queimadas. Pensar em soluções sustentáveis, atuar pesado na zeladoria de nossos parques tão precarizados. Além disso, quero melhorar a comunicação entre servidores e executivo, tão desgastada, fruto de conflitos e insatisfações de ambos os lados. O servidor Araraquarense está infeliz, cansado e se sente traído. Servidores são a alma do bom serviço público, eles precisam ser ouvidos e contemplados como merecem. A pauta da mulher também merece atenção especial, pois tem ocorrido muita violência e precisamos reforçar os serviços públicos existentes e pensar em melhorias junto aos órgãos competentes. Mas é aquilo… Estarei ao lado do cidadão que precisa e me procurar. Sou pautada pela empatia e sei que não tenho como ver todos os problemas da cidade, para isso conto com as pessoas e estou totalmente a disposição”.

O Imparcial: O cidadão que quiser falar com você, trazer ideias e entrar em contato deve proceder como?

Luna: “Meu gabinete na Câmara Municipal é o 14 e estamos totalmente à disposição das 10h às 18h de segunda a sexta. Por conta da pandemia, o horário de atendimento ao público pessoalmente é das 13h às 17h e deve ser marcado com antecedência através do nosso whatsapp ou telefone. Mesmo que eu não possa atender pessoalmente, alguma das minhas assessoras poderá. O cidadão que observar uma demanda muito problemática, como um buraco na rua ou uma árvore prestes a cair pode nos procurar diretamente por e-mail, enviando fotos do problema, endereço completo e uma descrição, que faremos a verificação e a identificação para reparos”, finalizou a vereadora.