Lineu de Assis quer a volta da Guarda Mirim e projetos para os idosos

“Covardemente, os interesses políticos, estão sobrepondo aos de saúde, aos de salvar vidas em Araraquara”, acredita o vereador do Podemos que defende o ‘tratamento precoce’ da Covid-19

119

José Augusto Chrispim

O jornal O Imparcial publica nesta edição a entrevista com o último dos 18 vereadores da Câmara Municipal de Araraquara. Na série de entrevistas realizada, os 18 atuais vereadores falaram sobre suas expectativas e, em quais áreas pretendem atuar, além de fiscalizar o Executivo. O vereador em destaque é o publicitário Lineu Carlos de Assis, o Lineu WL, de 67 anos, que foi eleito com 595 votos nas últimas eleições. Lineu é o primeiro vereador eleito pelo partido Podemos em Araraquara. Ele integra o grupo “G7” que faz oposição ao prefeito Edinho Silva (PT). Lineu conta que é publicitário, jornalista e relações públicas por formação acadêmica e pós-graduado em Gerência de Marketing. Ele mantém a agência de publicidade ‘W&L Publicidade’, há 43 anos. “No jornalismo, atuei no Jornal O Imparcial nos anos de 1975/1976. Nunca atuei no política, enquanto exercício do cargo, é a primeira vez que o faço, como a minha eleição para vereador, através do partido Podemos. Entendo a ciência política, como teoria, maravilhosa… infelizmente, a prática da mesma, pela grande maioria do que se habilitam, a jogam na vala comum. Quero fazer a diferença e praticá-la como a sua teoria nos apresenta”, ressalta. Veja quais são as expectativas e as propostas para seu primeiro mandato como vereador de Araraquara.

O Imparcial: Quais são suas expectativas para seu primeiro mandato como vereador?

Lineu: “Entendo como altamente positivas, estou otimista. Transparência, ética não me são difíceis de praticar, quem me conhece, sabe da minha forma de ser, e meus 67 anos de vida, estão aí, para comprovar. E que fique claro, são obrigações e não virtudes. Sei que teremos barreiras, principalmente pelo exercício, enraizado, da velha política, com os tradicionais “toma lá, dá cá”. Jamais atenderemos interesses individuais e de “grupinhos”. A prática saudável, da maravilhosa ciência política, é o que nos norteia”.

O Imparcial: Além de fiscalizar o Executivo, em que áreas você pretende atuar? Quais bandeiras você defende?

Lineu: “As premissas básicas do vereador são Legislar, Representar e Fiscalizar, é assim que serei. Temos sempre que trabalhar pelo coletivo. Na minha posse já tinha dito; “Todo projeto, venha de onde vier, tendo transparência, conteúdo e que busque o coletivo, terá meu apoio”.

Como seria: Apresentar leis de interesse coletivo, sempre. Fiscalizar o prefeito, secretários e autarquias. Vereador, não é Assistente Social, essa prática ficou enraizada, pelo péssimo exercício da velha política”.

O Imparcial: Quais projetos você pretende implantar em seu mandato?

Lineu: “Entre muitas, e elas vão surgindo no dia a dia do exercício do cargo. Tenho duas bandeiras de campanha:

A volta da Guarda Mirim, escola de civismo, de encaminhamento aos bons costumes e a implantação do projeto “Laços de amor eterno”, onde as

pessoas idosas, invariavelmente colocadas à margem da sociedade, pudessem ter atividades, se sentirem úteis e transmitirem suas experiências aos mais jovens”.

O Imparcial: Como você vê a atuação do Legislativo em relação ao combate à pandemia do coronavírus em Araraquara? O que pode melhorar?

Lineu: “Poderia ser melhor. Está se aceitando pacificamente os erros do

Executivo nas imposições absurdas, nas atitudes dessa pandemia. Os interesses partidários e de “grupinhos” sobrepõe aos interesses do povo.

Esquecem que somos representantes dos munícipes, mas o “ajoelhar” aos desejos da Administração Municipal é o que impera da grande maioria”.

O Imparcial: Como você vê a atuação do Executivo no combate à pandemia do Coronavírus?

Lineu: “Necessita de revisão urgente… As medidas mitigadoras não atingiram a eficácia plena, conforme estabelece o show midiático do executivo nos grandes órgãos de imprensa.

Vou discorrer alguns pontos:

Covardemente, os interesses políticos, estão sobrepondo aos de saúde, aos de salvar vidas. Segundo a fala da Secretária da Saúde, a enfermeira Eliana Honain, junto ao portal Cidade On “Araraquara não realiza tratamento precoce”. Por que o tratamento precoce ao combate a COVID 19, não foi adotado por Araraquara? Por não ter comprovação científica? Ah! o lockdown já tem comprovação científica, o robusto estudo científico de renomados cientistas da Universidade de Stanford -Califórnia, concluiu pela inexistência de benefícios relevantes no combate ao coronavírus, com a adoção de medidas de fechamento de negócios. Não foram encontrados benefícios significativos, aumentando o número de mortes. No Brasil o estudo se confirma através da Universidade Federal de Pernambuco. Até o momento não há, no mundo, um novo estudo que comprove a eficácia do lockdown, a não ser aumentar as mortes físicas e comerciais. Por que o show midiático e os meios de comunicação nacional, insandecidamente se prostram frontalmente a OMS?. Me provem… vamos me provem que funciona!!! O tratamento precoce, em todas as cidades que foi adotado, está demonstrando com números exatos a sua eficácia. Me provem onde e como ele ocasionou prejuízos à saúde, de quem adotou… mostrem-me… vamos… um único caso. Notáveis e estudiosos médicos defendem o mesmo. O tratamento precoce é regido por acompanhamento médico, e não por leigos. Porto Feliz, aqui no interior do estado, que adotou de imediato, tem o menor índice de mortalidade do país, 0,13. Vejam Búzios/RJ, Cascavel/PR… e outras cidades mais. Sorocaba e Limeira, são exemplos recentes de adoção. Chega de politicagem genocida… chega de colocarmos os interesses políticos acima dos interesses de salvar vidas. Salvar vidas em Araraquara é um mantra, meramente poético, mas nunca colocado em prática. Por que não adotá-lo explicitamente, quando sabemos, que nos subterrâneos ele foi adotado nos últimos dias. Sabe por que? Sabe por que? Repito… pois, covardemente, essa omissão, é para valorizar uma mentira… chamada lockdown, implantada em Araraquara, que até então ceifou vidas, antes medicadas com Dipirona, e 5 dias, posterior, estavam debilitadas, muitas já a beira da morte. O folhetim mentiroso vale mais… quem sabe soltem, mais uma vez, aos quatro cantos do país mais uma notícia fake, como o fizeram em janeiro, quando dizia-se: “Araraquara é exemplo de combate a Covid, nos cenários estadual, nacional, e até internacional, através de uma revista francesa”. Lockdown não tem comprovação científica alguma… provem-me, repito mais uma vez. O tratamento precoce, vão responder aqui em Araraquara, também não tem. Oras, como explicar o sucesso, os números exatos, em todas as cidades que o adotaram? Sugiro que a Administração Municipal, notadamente a sua área de saúde, estudem, se aprofundem com relação ao tratamento precoce. Medicina requer estudos diários, é uma ciência que a cada instante se inova, exige-se estudos diários. Não se admite, no caso, defender, cegamente, objetivos meramente políticos, ignorando o ser humano, sua saúde!!! Vou exemplificar… você está num avião… ele começa a cair… vêem uma caixa com paraquedas, que não foram testados pelo INMETRO. Pergunto: “Vocês preferem não pegar o paraquedas, pois não foi testado pelo INMETRO ou pegá-lo e utilizá-lo?”. Chegou a hora de derrubar a máscara desses coveirocratas disfarçados de autoridades. E que também fazer eles pagarem, na cadeia, pelo caos nos hospitais e na economia do Brasil. Em tempo: Voltando a Araraquara, em 2019, como em todos os anos, tivemos a Epidemia de Dengue, os números, que não são meus, mas da Prefeitura Municipal, deram conta de 05 óbitos e 23.457 infectados… ao nosso lado, à 40 km, temos São Carlos, no mesmo período, não tivemos nenhum óbito e aproximados 2.000 infectados. Reflitam… com a palavra as autoridades locais”, destacou o vereador do Podemos.