Liga Acadêmica de Medicina da Uniara leva alegria a pacientes da Santa Casa

Os projetos “Conectados pela alegria” e “Biografia do paciente” estão em andamento no hospital

30

A Liga Acadêmica de Humanização da Medicina Uniara – LAHMU, do curso de Medicina da Universidade de Araraquara, realiza dois projetos de extensão na Santa Casa de Araraquara: o “Conectados pela alegria”, no qual os integrantes, fantasiados de clowns, enviam vídeos específicos a pacientes, e o “Biografia do paciente”, no qual os membros coletam informações com familiares dos hospitalizados para surpreendê-los.

 “Como se um projeto não bastasse, criamos dois para transbordar o amor e afeto presentes nos coraçõezinhos dos ligantes, buscando pela prática médica mais humanizada”, brinca a coordenadora geral da LAHMU, Barbara Oliveira Martinez.

O “Conectados pela alegria” já está em andamento há mais de um ano, de acordo com ela. “Diante desse momento de tantas incertezas devido à pandemia de coronavírus – Covid-19, muitos pacientes hospitalizados encontram-se com medo, saudades, angústias e sentimentos mais diversos. Nessa questão, o projeto permitiu transpor os obstáculos do isolamento social exigido, sendo possível o envio de vídeos dos clowns direcionados a pacientes específicos, que atendem a critérios de sua subjetividade, o que promove afeto, riso e diversos benefícios para eles e para os discentes envolvidos”, destaca.

Entre esses benefícios, a coordenadora geral cita que “os hospitalizados encontraram momento de aconchego e felicidade, adquirindo mais ânimo para lidar com sua internação e rotina de tratamentos”. “Em relação aos discentes, foram nítidos o conhecimento em práticas humanitárias adquirido, e a capacidade de aperfeiçoar a empatia e a forma comunicativa. É importante ressaltar que, para isso, foram lecionadas aulas acerca da comunicação e capacidade criativa, o que permitiu a diluição da timidez em extroversão e brincadeiras. Nessa questão, cabe ressaltar que os benefícios não se restringiram a esse momento: a assimilação dessas experiências pode propiciar maior reflexão e atendimento com maior humanização no futuro, não como clowns, mas como médicos”, explica Barbara.

Já o projeto “Biografia do paciente” está em estágio inicial de atividades. “A proposta é coletar dados pessoais do paciente para tornar a relação médico-paciente/enfermeiro-paciente – e no geral, entre todos os participantes da equipe de saúde – humanizada. Para isso, entra-se em contato com a família do hospitalizado por telefone, visando a conhecer um pouco mais a seu respeito – comidas que gosta, músicas, animais de estimação etc. Os ligantes anotarão essas informações e as transmitirão à diretoria da Santa Casa, que as utilizará para tornar sua estadia a mais confortável, humanizada e acolhedora possível, como por exemplo incluir na dieta um alimento que aprecie ou colocar músicas que goste de ouvir”, detalha a aluna.

Barbara menciona que, para o “Conectados pela alegria”, são gravados vídeos semanais para os pacientes e, em relação ao “Biografia do paciente”, a ideia é coletar as informações de duas a três vezes por semana.

A LAHMU tem como tutora a professora Grace Lis Proença Meirelles Barreto Porto. “Na Liga, abordo criatividade e humanização. O foco é trabalhar a comunicação e o autoconhecimento. É preciso entender a si mesmo para entender o outro”, finaliza a docente.