Levantamento de Conjuntura aponta expansão da atividade industrial

Horas trabalhadas e uso da capacidade na indústria paulista crescem em maio, apesar de queda nas vendas

11
Indústrias

O Levantamento de Conjuntura da Fiesp/Ciesp indicou alta de 1,4% nas horas trabalhadas na produção da indústria paulista nos meses de abril e maio. O índice é 7,2% superior a fevereiro de 2020, período que antecedeu a pandemia.

Ainda segundo o Levantamento, o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) alcançou 80,6% em maio, percentual superior 0,9 pontos do obtido em abril, o que demonstra baixa ociosidade da indústria paulista no período. Entretanto, as vendas reais tiveram redução de 1,5% nos meses de abril e maio. Apesar do declínio, o volume de vendas está 3,1% acima do nível pré-pandemia.

Para complementar as informações, a Fiesp e o Ciesp também divulgaram a pesquisa Sensor, que indica o nível da atividade industrial. De acordo com o relatório, o mês de junho apresentou resultado inferior a maio; entretanto, na média, o 2º trimestre obteve números superiores ao trimestre inicial do ano. Para Ademir Ramos, diretor titular do Ciesp – regional Araraquara, os índices demostram a recuperação do setor, mas ainda deixam os industriários em alerta.

“Os números mostram uma lenta recuperação da atividade industrial. Acreditamos que o avanço do processo de vacinação, a retomada das atividades econômicas e o cenário de crescimento mundial deverão impulsionar a indústria de transformação nos próximos meses”, ressalta.

Condições de mercado

Apesar dos números positivos e da retomada gradativa do setor, a avaliação das condições de mercado apresentou queda em junho, na comparação com o mês de maio, passando de 57 pontos para 53,4. O índice de vendas, empregos, estoques e o indicador de investimento também demonstraram variação.

CAGED – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Em maio, o saldo de vagas da indústria no Brasil foi de 280.666, indicando uma leve variação positiva de 0,70%. Especificamente em São Paulo, esse número alcançou 104.707, sendo o estado que mais gerou oportunidades de emprego. Os setores de alimentos, máquinas e equipamentos e veículos, respectivamente, foram os que mais absorveram essa mão de obra. Nesse levantamento, a regional de Araraquara ficou na 22º posição, gerando um saldo positivo de 199 carteiras assinadas em maio, de acordo com a Fiesp/Ciesp, baseados nos números do CAGED.