Julho das Pretas destaca “Mulheres no Hip Hop” nesta quinta (22)

“A luta pela visibilidade” – é o tema da live que apresenta NalaSuê, Patrícia Limeira e a Isabela Lima, com Viviane Ferreira, resgatando a história das mulheres do Hip Hop de Araraquara

27

O Hip Hop feminino é destaque no encontro proposto para essa quinta-feira, 23 de julho, na programação do Julho das Pretas: é a atividade “Mulheres no Hip Hop – A luta pela visibilidade”. A atividade pode ser acompanhada gratuitamente, a partir das 19 horas, nos canais da “Prefeitura de Araraquara” e dos “Amigos do Centro Afro” no Facebook.

A live apresenta as convidadas: NalaSuê, Patrícia Limeira e a Isabela Lima. A mediação do encontro será realizada por Viviane Ferreira, agente administrativa do Centro de Referência Afro Mestre Jorge e também militante do movimento Hip Hop.

“A proposta da live é resgatar a história das mulheres do Hip Hop de Araraquara e mostrar o quão difícil é ocupar e se manter neste lugar que mesmo depois de tanto tempo, ainda impera como um ambiente machista, não abrindo espaço para que a mulher o ocupe”, lembra Alessandra de Cássia Laurindo, coordenadora municipal de Políticas Étnico-Raciais. “As convidadas trazem em suas trajetórias, as vivências práticas e também propostas para que algumas barreiras possam ser superadas”, adianta a coordenadora.

Vale destacar que a programação do Julho das Pretas teve início no último dia 07 – e segue até esta sexta-feira, 23 de julho, com a realização da cerimônia de entrega do Prêmio Drª Rita de Cássia, a partir das 17 horas, no Paço Municipal, onde haverá projeção de imagens na fachada do prédio das homenageadas pelo prêmio nas edições de 2020 e 2021.

Conheça as convidadas:

NalaSuê

NalaSuê tem 24 anos é multiartista, produtora cultural e ativista do Movimento Negro. A produtora ministra palestras, rodas de conversas e atividades que resgatam e valorizam a cultura afro brasileira.

Patricia Biba (Limeira/SP)

Patricia Bilba é produtora cultural, relações públicas, gestora de projetos e começou no Hip Hop em 1999. Foi colunista e também apresentadora de diversos sites de Hip Hop e produziu muitos eventos sobre o tema. Coordenou diversos projetos – como Coletivo de Mulheres Minas da Rima, Núcleo da CUFA – Central Única das Favelas em São Paulo, Ponto de Cultura Janga+Ação no Jardim Jangadeiro/zona Sul; além de assinar a coordenadora da diretoria de eventos e esportes na Associação a Mulher e o Movimento Hip Hop – Hip Hop Mulher, entre 2007 e 2014. Vale destacar que Patricia foi coordenadora no Instituto Tomie Ohtake, responsável por acompanhar e dar suporte à operação do Expresso Acesso. Atualmente faz parte da Rede Asta, onde ingressou 2020 como articuladora no projeto “Máscaras mais renda”; agora é monitora na Escola de Negócios da rede Asta.

Isabela Lima

Dançarina B.girl, graffiteira, designer e atriz, Isabela Lima é estudante de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, no IFSP-Campus Araraquara. Isabela se dedicou à prática do Breaking aos 14 anos, quando cursou Dança Breaking no projeto Oficinas Culturais, de 2003 a 2006. Durante este percurso se tornou membro de duas das primeiras crews formadas na cidade: “Elementos Alfa Crew” e “Garotas Poderosas Crew”. Isabela se aprofundou no estudo da Cultura Hip Hop, com aperfeiçoamento no graffite, participando de eventos conceituados no país. Foi em 2013, após se capacitar em um workshop de produção de eventos, que participou como fundadora do “Projeto Mulheres In Loco”, aperfeiçoando seus estudos e prática da performance (Bgirlism). Em 2018 iniciou o curso Técnico em Teatro (Senac). Vale destacar a participação artística de Isabela em diversos eventos realizados pelas instituições de Araraquara.