Jovem acusa médico da UPA Central de assédio

A vítima afirmou à polícia que teria gravações que comprovam o assédio cometido pelo profissional durante o atendimento

197

Uma jovem, de 20 anos, acusou um médico de assédio sexual durante um atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) central, na noite dessa quarta-feira (16). O caso foi parar na Delegacia de Plantão.

Segundo o apurado, depois de relatar que teria sido assediada pelo médico durante o atendimento, e alegar que tinha gravações que comprovariam a denúncia, revoltados, familiares dela que a aguardavam do lado de fora da UPA, invadiram o local e tentaram agredir o profissional. Em meio à confusão, alguns móveis foram danificados, sendo necessária a presença de policiais militares e agentes da Guarda Municipal para controlar a situação. O médico negou as acusações.

Todos os envolvidos foram encaminhados para a Delegacia de Plantão, onde foi registrada a ocorrência. O caso será investigado pela Polícia Civil.

Foto: Divulgação