Instituto Idioma Surdo pede ajuda da Câmara para implantação de uma sede

Demanda será articulada pelo vereador Aluisio Boi

17

O presidente da Câmara Municipal, vereador Aluisio Boi (MDB), recebeu a presidente do Instituto Idioma Surdo, Vilma do Amaral Schiavinato, para uma conversa sobre as necessidades da instituição.

                Vilma relatou diversas atividades voluntárias realizadas pelo Instituto Idioma Surdo, como aquisição de aparelhos auditivos, acompanhamentos em entrevistas de trabalho, acompanhamentos jurídicos e até parto. Porém, as dificuldades em atender a demanda só aumentam.

“Fiquei feliz em saber das vitórias que a instituição tem conseguido. Foram vários aparelhos auditivos, muitas colocações de trabalho em empresas da cidade, com a integração no mercado e cursos para pessoas ouvintes, visando a comunicação com os surdos.  Isso é a prova cabal de que os surdos têm condição de trabalhar e de fazer qualquer coisa. Muitas empresas estão abrindo suas portas e estão muito contentes com o desempenho profissional”, afirmou Boi.

A solicitação mais urgente do instituto é uma sede para a realização de suas atividades. Vilma garantiu que não consegue mais manter o serviço em sua casa. “Precisamos de um espaço para que possamos atender, pois, tendo um local, as coisas ficam mais fáceis. Temos necessidade também de um convênio para manter uma pequena estrutura”, disse Vilma, lembrando que “atualmente, o Instituto Idioma Surdo se utiliza de uma sala cedida na Udefa, para a realização de cursos de capacitação para pessoas ouvintes. Já as demais atividades são realizadas em sua residência.

Com uma sede, o instituto atenderia também os interessados em se tornar bilíngues, com o aprendizado da Língua Brasileira de Sinais, para se comunicarem com pessoas surdas no dia a dia e para a capacitação do atendimento ao público comercial de empresas privadas e de serviços prestados por instituições governamentais.

O vereador Boi se dispôs a defender a demanda das pessoas surdas e ajudar na busca por um espaço para a instalação da sede do Instituto Idioma Surdo, que se tornaria o primeiro Ponto de Cultura Surda da região. “Tenho a informação de que existe um espaço na região central que poderia ser utilizado pelo Instituto e que já houve um primeiro contato. Vou tratar dessa demanda diretamente com o Prefeito”, ratificou Boi, que teve apoio imediato dos vereadores Rafael de Angeli (PSDB) e Lucas Grecco (PSL).