Ferroviária se manifesta sobre acusações contra seu principal acionista

A assessoria de imprensa do clube emitiu uma nota onde diz que aguardará a apuração das investigações pelos órgãos competentes

286

A Ferroviária se pronunciou na tarde desta quarta-feira sobre as acusações feitas contra o seu principal acionista, o empresário Saul Klein, da MS Sports.

Em uma curta nota, o clube diz que aguardará a decisão da Justiça para apuração do caso e que usará os seus canais caso se manifeste.

Na noite dessa terça-feira, de acordo com a jornalista Mônica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo, o filho do fundador das Casas Bahia, Saul Klein, foi acusado de estupro e aliciamento de 14 mulheres. As investigações estão em segredo em inquérito policial feito na Delegacia de Defesa da Mulher de Barueri.

Em novembro de 2019, a MS Sports adquiriu 50% das ações que pertenciam a Know-How para se tornar a principal investidora do clube. O principal objetivo na temporada era o acesso à Série D do Brasileirão, mas time não obteve êxito.

Nota divulgada pela Ferroviária

Em relação à divulgação de acusações contra o empresário Saul Klein, a Ferroviária Futebol S/A comunica que aguardará pelas manifestações oficiais da Justiça acerca das investigações a serem realizadas pelos órgãos competentes.

A instituição se manifestará exclusivamente por seus canais oficiais de comunicação.

Caso parecido

Recentemente o time do Santos foi obrigado a rescindir o contrato com o atacante Robinho, que nem chegou a jogar, por pressão dos patrocinadores que ameaçaram retirar os patrocínios do clube, caso o jogador fosse efetivado no elenco.

Robinho teve a condenação confirmada pela Corte de Apelação de Milão, no início de dezembro, pelo crime de violência sexual de grupo contra uma mulher albanesa, em 2013. O tribunal, a segunda instância da Justiça italiana, também referendou a pena de nove anos de prisão.

O caso do empresário Saul Klein ainda está na fase de acusação e pode nem chegar a um processo criminal, mas, com certeza a sua imagem ficará abalada.