Feira Popular na passarela sobre a Via Expressa deve facilitar trabalho de ambulantes no centro

Por cerca de 90 dias, estrutura passará por restauração para abrigar os vendedores ambulantes

37

O prefeito Edinho, secretários, coordenadores e gestores municipais vistoriaram o início das obras de restauração da Passarela Orival Ramalho, que liga a Avenida Brasil à Avenida São Paulo e passa sobre a Via Expressa.
No local, que fica ao lado do Terminal Central de Integração, a Prefeitura implantará nos próximos meses a Feira Popular, um novo espaço para abrigar vendedores ambulantes que costumavam trabalhar na Rua Nove de Julho (Rua 2) — exceto os vendedores de alimentos.
As obras começaram na segunda-feira (5), são executadas pela empresa Gomap Engenharia e Construções Eireli e recebem investimento de R$ 300.063,90. A previsão de duração é de 90 dias.
“Estamos em meio à pandemia, mas, em uma situação de normalidade, mais de 30 mil pessoas passam diariamente pelo Terminal de Integração. É um local de muito fluxo de pessoas. Queremos organizar aqui uma feira popular priorizando os trabalhadores ambulantes da Rua Nove de Julho. Isso sempre gera conflito com os comerciantes. Queremos pacificar essa situação. Essas pessoas estão lá porque precisam trabalhar”, declarou Edinho em transmissão nas redes sociais.
“Queremos trazer essas pessoas para cá. Organizar aquele comércio aqui neste local. Queremos atrair consumidores para esta feira, estimular que as pessoas que venham para o Terminal de Integração possam fazer suas compras dos trabalhadores ambulantes. Vamos reforçar a passarela, melhorar a segurança e organizar os trabalhadores aqui no local”, complementou o prefeito.

Trânsito
Como a passarela passa sobre a Avenida Maria Antônia Camargo de Oliveira, a Via Expressa, o trânsito na região passa por alterações. A pista sentido Roseiras-Rodoviária está interditada e a outra, que continua liberada, está com mão dupla (uma faixa no sentido Roseiras e outra no sentido Rodoviária).
Duas aberturas no canteiro central foram providenciadas para que os veículos consigam trocar de pista, tanto nas proximidades da Avenida Feijó como na região do restaurante McDonald’s.
Após aproximadamente 45 dias, na segunda etapa da obra, ocorrerá o inverso: a pista sentido Rodoviária-Roseiras será interditada e os veículos continuarão passando pela outra pista, com uma faixa para cada sentido.
Todas essas alterações são acompanhadas de perto pelas equipes de Trânsito da Prefeitura, que instalaram faixas e placas indicativas e dão orientações aos motoristas, além da fiscalização.

Alternativas
Para evitar o afunilamento de veículos na passagem pela Via Expressa abaixo do Terminal de Integração, os motoristas podem adotar diversas alternativas.
No sentido Roseiras-Rodoviária, é recomendado acessar a Alameda Rogério Pinto Ferraz (rotatória da Rumo), a Avenida Dr. Adail Nunes da Silva (supermercado Vencedor), a Avenida Bandeirantes ou a Avenida Feijó. É possível retornar para a Via Expressa por meio das ruas Gonçalves Dias (Rua 1) e Maria Janasi Biagioni (continuação da Rua 3).
No sentido inverso, Rodoviária-Roseiras, uma das recomendações é acessar a Avenida Dom Pedro II (Colégio Conexão) e, depois, a Rua Antônio Prado (em frente ao Museu Ferroviário), seguindo em frente até voltar para a Via Expressa. Quem for ao Centro pode acessar a Rua Nove de Julho (Rua 2) antes da rotatória com a Avenida Sete de Setembro (a rotatória do Savegnago).
Por razões de segurança na implantação da pista com mão dupla, e devido à sinuosidade do trecho (curvas onduladas), caminhões, ônibus e veículos grandes não podem passar na Via Expressa, sob a passarela e o Terminal de Integração, durante a realização da obra.