Fabricante de tintas adere ao movimento Unidos pela Vacina e doa câmaras frias para acelerar vacinação em Matão

Propósito da ação é ajudar no controle da pandemia

46

Ciente do seu compromisso com a comunidade a qual pertence, a Brasilux, uma das maiores fabricantes de tintas do País, acaba de confirmar sua adesão ao movimento Unidos Pela Vacina, com a doação de câmaras frias para armazenamento de vacinas à Prefeitura de Matão, onde estão localizadas três, das 5 fábricas da empresa. O movimento Unidos pela Vacina surgiu em fevereiro, por iniciativa do Grupo Mulheres do Brasil, liderado pela empresária Luiza Helena Trajano, para agilizar o processo de vacinação em massa contra o novo coronavírus, no Brasil.

Ao todo, a empresa doará seis câmaras, sendo quatro de 280 litros e duas câmaras de 420 litros que, juntas, refrigerarão um total de 104 mil doses da vacina. A ação beneficia diretamente o município de Matão que tem uma população estimada de 83 mil habitantes, segundo dados do IBGE. A entrega dos equipamentos está prevista para final de junho e, a partir daí, o gerenciamento e uso das câmaras passará a ser de responsabilidade da Secretaria Municipal de Saúde da cidade. Os equipamentos são de última geração e certificados pela ANVISA.

 “Queremos, mais uma vez, fazer nossa parte e contribuir para o bem-estar e saúde da comunidade. Entendemos que neste momento, somente a união entre a iniciativa privada e todas as esferas do governo poderá alterar o rumo do nosso país, trazendo o controle necessário para esta pandemia”, destaca Kelly Diniz, diretora-presidente da Brasilux.

Segundo dados da Prefeitura de Matão, divulgados no início do mês de maio, desde janeiro deste ano, quando a cidade recebeu o primeiro lote de vacinas, contra o Coronavírus, foram aplicadas 21.862 doses, sendo 13.625 primeiras doses e 8.237 pacientes que já receberam as duas doses, totalizando 9,85% da população imunizada.

O movimento Unidos pela Vacina é apartidário e reúne mais de 3 mil pessoas entre empresários, artistas, atletas, cientistas, representantes de entidades setoriais, instituições, associações, comunidade e ONGs em todo o Brasil. O objetivo é tornar viável a vacinação de toda população brasileira, contra o Coronavírus, até setembro de 2021. Vale ressaltar que o grupo não promoverá compras de vacinas nem pretende criar um plano privado de imunização. O propósito é auxiliar a logística, distribuição e aplicação de vacinação pela rede pública em todos os estados brasileiros.

Foto: Ilustrativa