Evento marca início das obras do primeiro ambulatório trans de Araraquara

Vereadora Filipa Brunelli (PT) representou a Câmara na solenidade, que também marcou início da reforma da nova sede do NGA3

198

Araraquara contará com o primeiro Ambulatório Trans da cidade. A Ordem de Serviço para início das obras foi assinada no dia 16 de setembro, durante evento que também autorizou o serviço da nova sede do Núcleo de Gestão Ambulatorial Dr. Francisco Logatti (NGA3). As adequações serão feitas no prédio do antigo Centro de Educação Profissionalizante de Araraquara (CEPAR), no bairro do Quitandinha. Na ocasião, a Câmara Municipal foi representada pela vereadora Filipa Brunelli (PT).

A parlamentar, a primeira travesti eleita em Araraquara, classificou o ato como uma vitória da população LGBTQIA+, conquistada durante o Orçamento Participativo de 2018. “Araraquara será uma das primeiras cidades do Brasil a ter um ambulatório trans que não está ligado a uma universidade, ou seja, é um serviço público prestado à população e não uma universidade que está estudando as pessoas trans”, esclareceu.

Quem também celebrou a iniciativa foi a assessora especial de Políticas LGBTQIA+, Erika Matheus: “Esta sede é muito esperada pela população trans desde que o projeto foi aprovado no Orçamento Participativo. Essa participação de forma democrática muda vidas. Historicamente, a população trans foi negligenciada, tanto pela sociedade quanto pelas instituições. Quando as instituições abrem espaço para que essas vozes que historicamente foram silenciadas sejam ouvidas, vemos que esse histórico começa a se transformar. E a instituição Saúde nos acolheu”.

O Ambulatório Trans será composto por assistente social, psicólogo, psiquiatra, endocrinologista, ginecologista, fonoaudiólogo e urologista, de acordo com a portaria do Ministério da Saúde que regulariza o processo transexualizador. Sua estrutura terá sala de espera, sanitários, consultórios, copa e outras instalações.

Nova sede NGA3 

A nova sede do NGA3 também foi eleita pela população na Plenária da Cidade do Orçamento Participativo de 2018. De acordo com a Prefeitura, o NGA3 possuirá serviço especializado nas modalidades de cirurgia vascular, cirurgia gástrica, cirurgia ortopédica, cirurgia plástica, cardiologia adulto e infantil, dermatologia, neurologia adulto, nutrição, oftalmologia, otorrinolaringologia, nefrologia, pneumologia, reumatologia e urologia. O local contará ainda com vestiários, lavanderia, cozinha, refeitório, salas de administração, de medicações e reuniões, além de consultórios, sala de espera e outras instalações.

O prédio que abrigará as duas unidades possui uma área de 19.998,96 metros quadrados e contará com investimento de R$ 5.293.922,66, por meio de um contrato firmado entre a Prefeitura e a Caixa Econômica Federal, dentro do Programa de Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa). A inauguração está prevista para maio de 2022.

A secretária municipal de Saúde, Eliana Honain, ressaltou a estrutura do local será ampla e moderna. “Não foi um projeto fácil, diante de toda sua complexidade, mas nós teremos em Araraquara um centro de especialidades muito diferenciado. Poucos municípios do porte de Araraquara terão essa estrutura”, afirmou.

O prefeito Edinho Silva (PT), por sua vez, destacou os desafios da Saúde pós-pandemia. “É preciso que todos nós tenhamos a capacidade de entender o tamanho do desafio futuro. Entender o tamanho do desafio futuro não é só discurso, é girar o eixo da gestão, da administração, que não é fácil, não é simples, porque a pandemia não foi debelada”, observou.