Entrega de fraldas e medicamentos será regularizada, garante secretária de Saúde

Informação foi dada durante reunião mensal com vereadores na Câmara Municipal

134

Na reunião mensal com os vereadores, realizada na quinta-feira (13) na Câmara Municipal de Araraquara, a convite do presidente da Comissão de Saúde, Educação e Desenvolvimento Social, Gerson da Farmácia (MDB), a secretária municipal de Saúde, Eliana Honain, foi questionada sobre a falta de fraldas, tamanhos G e GG, e também de alguns medicamentos na rede básica de saúde. De acordo com a gestora, a distribuição será normalizada até a próxima semana.

Sobre as fraldas, que são distribuídas gratuitamente pelo Município desde novembro de 2018, a secretária explicou que a empresa vencedora do processo de licitação faliu e um processo de compras precisou ser realizado. “Até sexta-feira (14), a distribuição estará normalizada. Ao todo, são aproximadamente 150 mil fradas por mês, a maioria geriátrica”, informou. Quanto à falta de alguns medicamentos, um atraso no pagamento teria desencadeado o problema, segundo Honain, mas até quarta-feira (19), “toda a rede estará abastecida”, garantiu.

Santa Casa

A dívida que a Prefeitura tem com a Santa Casa também pautou a reunião. Conforme explicado pela secretária, os valores referentes ao contrato firmado com o Município para atendimento via Sistema Único de Saúde (SUS) estão em dia. A questão é que os atendimentos ultrapassam o contratado, gerando um custo excedente que vem se acumulando há anos. “Já pagamos R$ 1 milhão e estamos negociando o restante”, afirmou Honain.

Atualmente, a Santa Casa é contratada pelo Município para atender uma área de cobertura que abrange 23 cidades da região e quase 1 milhão de habitantes, sendo que aproximadamente 30% dos atendimentos são para pacientes de fora. Para isso, conta com recursos municipal, estadual e do governo federal. A ideia da secretária é pleitear junto ao Ministério da Saúde um incremento de R$ 900 mil mensal para atendimento de alta e média complexidade.

Também participaram da reunião o vice-presidente da Câmara Municipal, Edio Lopes (PT), e os parlamentares Jéferson Yashuda (PSDB) e Roger Mendes (Progressistas).