Em live do Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, Edinho defende igualdade de direitos

Prefeito participou do evento, transmitido pelo Facebook da Prefeitura, na tarde de segunda-feira (28)

15

O prefeito Edinho participou da live “Stonewall – O movimento LGBTQIA+ e o Orgulho”, transmitida no Facebook da Prefeitura em comemoração ao Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, na segunda-feira (28). A iniciativa faz parte da programação do Mês Internacional do Orgulho LGBTQIA+, com o tema “Luta em cores” e promovido pela Assessoria Especial de Políticas LGBTQIA+.

Em sua fala no evento, o prefeito defendeu a igualdade de direitos entre todas as pessoas. “Mais do que eventos, precisamos que a sociedade construa políticas públicas que sejam perenes, que ajudem efetivamente a garantir direitos iguais a todos e que combatam todas as formas de preconceito. As próximas gerações precisam olhar para trás e ver que seus direitos foram consolidados por meio dessas políticas públicas”, analisou Edinho.

“No nosso governo, a comunidade LGBTQIA+ sempre teve voz, seja por meio da nossa Assessoria Especial LGBTQIA+ ou pelas plenárias temáticas do Orçamento Participativo. Além do Centro de Referência LGBTQIA+, que já foi entregue pela nossa gestão, estamos prestes a inaugurar a primeira Casa Abrigo para pessoas LGBTQIA+ do país e a implementar um Ambulatório Trans. Conquistas essas da própria comunidade por meio do Orçamento Participativo”, complementou.

Outras duas lives dentro dessa temática dão sequência à programação, sempre às 19h e no Facebook da Prefeitura. Nesta terça-feira (29), “A criminalização da LGBTfobia e a criminalização de corpos LGBT’s”, e, na quarta-feira (30), “Das dificuldades às lutas-esperanças”.

Participaram da live de abertura da programação a vereadora Filipa Brunelli (PT), que foi a assessora LGBTQIA+ da Prefeitura no mandato anterior de Edinho; o coordenador de Direitos Humanos, Renato Ribeiro; a atual assessora especial de Políticas LGBTQIA+, Érika Matheus; e o historiador, documentalista e pesquisador do Museu da Diversidade Sexual, Leonardo Arouca.