Em 55 dias de 2021, Araraquara registra mais mortes por Covid-19 que 2020

São 24 óbitos em janeiro e 69 em fevereiro, totalizando 93 contra 92 de todo o ano passado; circulação da nova cepa do coronavírus foi detectada no início deste mês

112

Com quatro óbitos registrados nesta quarta-feira (24), Araraquara contabilizou em menos de dois meses de 2021 mais mortes causadas pela Covid-19 do que todo o ano de 2020. Uma triste marca e que reflete a presença da nova cepa mais transmissível do coronavírus, conhecida como cepa de Manaus, no município.

De março a dezembro de 2020, quando a ampliação de leitos hospitalares, a ampla testagem e as demais medidas da Prefeitura mantiveram a pandemia sob controle e sem pressão no sistema de saúde, 92 óbitos foram confirmados em decorrência do coronavírus. Em 2020, as taxas de ocupação dos leitos, tanto de UTI como de Enfermaria eram de, em média, 40% a 60%. Nesse período, pela disponibilidade de leito, a Secretaria de Saúde adotou como protocolo a internação precoce para monitorar no hospital a evolução de pacientes positivados acima de 55 anos.

Neste ano, com o reflexo da circulação da nova cepa, os casos dispararam de forma expressiva e rápida, aumentando também as internações e o número de mortes. São 93 famílias enlutadas em 2021 até esta quarta-feira, sendo 24 no mês de janeiro e 69 no mês de fevereiro (em 24 dias). No total desde o início da pandemia, são 185 óbitos.

Foi essa alteração na situação da pandemia que levou a Prefeitura a endurecer as restrições de isolamento social, já que a ocupação de leitos de UTI e enfermaria é de 100% em Araraquara. O DRS 3 (Departamento Regional de Saúde) também encontra dificuldade para internações nos outros municípios da região.

Mudança de perfil

Entre o final de janeiro e o início de fevereiro, os profissionais de saúde de Araraquara detectaram que algo diferente ocorria: aumento expressivo de contaminações e complicações da doença também em pacientes mais jovens, que passaram a ser internados com maior frequência. Óbitos foram registrados em pacientes com idades de 26, 27, 30, 31, 33, 35 e 36 anos, por exemplo.

Isso levou a Prefeitura e o Sesa (Serviço Especial de Saúde de Araraquara), no início do mês, a colherem amostras em pacientes leves, moderados e graves internados em Araraquara e encaminharem para análise.

A resposta chegou no último dia 12: o Instituto de Medicina Tropical, vinculado à USP (Universidade de São Paulo), confirmou que a variante do coronavírus detectada em Manaus também estava em circulação por aqui.

Embora ainda não haja um estudo científico que aponte a nova cepa como mais agressiva entre a população fora do principal grupo de risco (idosos), as estatísticas e a experiência enfrentada pelos profissionais de saúde do município apontam a mudança de comportamento da pandemia.

No ano passado, somente uma pessoa abaixo de 40 anos morreu por causa do coronavírus entre 92 óbitos. Em 2021, são nove mortes de pessoas abaixo dessa faixa etária em 93 vítimas fatais.

Lockdown

Desde a semana passada, Araraquara endureceu o isolamento social para diminuir a curva de contaminação. Primeiro, somente os serviços essenciais foram liberados para abrir presencialmente. A partir do último domingo (21) passou a vigorar o ‘lockdown’, com a proibição de circulação nas ruas sem uma justificativa. Somente farmácias e unidades de saúde poderiam funcionar.

Desde esta quarta-feira (24), novo decreto entra em vigor, válido até as 6h do sábado (27). Postos de combustíveis podem abrir das 8h às 18h para que veículos utilizados por trabalhadores de serviços essenciais autorizados pelo decreto possam ser abastecidos; é permitida a entrega por delivery para supermercados, mercados, mercearias, padarias, açougues e hortifrútis atacadistas e de varejo; é liberado o delivery para estabelecimentos de entrega de gás de cozinha e água em galões de 10 e 20 litros e, também, o delivery para o comércio de insumos médico-hospitalares e de higienização; é permitido o transporte de mercadorias, de valores e de combustíveis; e agências bancárias podem abrir os caixas eletrônicos (autoatendimento), com distanciamento de 3 metros nas filas.

Todas as outras proibições constantes no decreto desde domingo continuam valendo. É permitido sair de casa apenas para aquisição de medicamentos, obtenção de atendimento ou socorro médico para pessoas ou animais, atendimento de urgências ou necessidades inadiáveis ou prestação de serviços permitidos pelo decreto, sob pena de multa em caso de desobediência.

Quando abordadas pela fiscalização, as pessoas deverão apresentar, além do documento de identificação: nota fiscal da compra ou prescrição médica do medicamento adquirido ou a ser adquirido; atestado de comparecimento na unidade de saúde; carteira de trabalho, contracheque, contrato social de empresa que seja sócio, declaração de terceiro com identificação do indivíduo, do declarante e do endereço da prestação dos serviços; tíquete ou imagem da passagem (no caso de transporte intermunicipal); ou comprovação da urgência ou da necessidade inadiável por qualquer meio ou declaração.

ÓBITOS POR COVID-19 MÊS A MÊS EM ARARAQUARA:

MARÇO/2020: 1

ABRIL/2020: 2

MAIO/2020: 1

JUNHO/2020: 8

JULHO/2020: 7

AGOSTO/2020: 11

SETEMBRO/2020: 17

OUTUBRO/2020: 17

NOVEMBRO/2020: 13

DEZEMBRO/2020: 15

JANEIRO/2021: 24

FEVEREIRO/2021 (ATÉ DIA 24): 69

2020 INTEIRO: 92 ÓBITOS

2021 (JAN E FEV): 93 ÓBITOS