Edinho diz estar aberto ao diálogo na busca pelo melhor para Araraquara

“Acredito que a política é construída com muito diálogo. Sempre dialoguei muito com a Câmara Municipal desde meu primeiro mandato e desta vez não será diferente”, ressalta o prefeito

100

José Augusto Chrispim

O prefeito Edinho Silva (PT), que foi reeleito para cumprir seu quarto mandato à frente da Prefeitura de Araraquara, deve ter uma oposição mais atuante a partir de 1º de janeiro de 2021, na Câmara Municipal. O que ocorre é que os partidos de direita Republicanos, Patriota, Podemos e PSL, conseguiram eleger seis vereadores nestas eleições. Alinhados ao Bolsonarismo, esses partidos devem desenvolver uma oposição mais atuante ao Executivo do que a que se viu nos últimos quatro anos.

O PT, de Edinho Silva, teria ao seu lado o Progressistas, do vice-prefeito Damiano Neto, além do PC do B. Juntos, os três partidos também teriam seis vereadores que devem compor a base governista. Porém, partidos de centro como o PSDB e MDB, conseguiram eleger quatro vereadores e, juntos com o PDT, podem desempatar as futuras votações de projetos enviados pelo Executivo à Câmara Municipal.

Alguns nomes para ocupar a cadeira da presidência da Câmara nos próximos dois anos já estão sendo especulados por lideranças partidárias e, o escolhido, vai depender de qual lado – esquerda ou direita -, conseguir reunir mais votos.

Dessa maioria na Câmara Municipal depende muito o trabalho do prefeito que deve colocar projetos polêmicos para votação no próximo ano. Um deles é a mudança de regime de trabalho dos servidores públicos de Estatutário para CLT. Os representantes da categoria já encontram apoio de alguns vereadores eleitos na disputa com o Executivo.

O Imparcial conversou perguntou ao prefeito o que o araraquarense pode esperar de seu quarto mandato e como ele entende que será sua relação com os vereadores eleitos para a próxima legislatura.

Veja a entrevista na íntegra.

O Imparcial: Edinho, o que o araraquarense pode esperar de você em seu quarto mandato?

Edinho: “Pode esperar muito trabalho e dedicação para continuar cuidando da nossa cidade e corrigindo os seus problemas. Lutando por mais justiça social, pela atração de empresas para Araraquara, pela geração de empregos, pela zeladoria de praças, parques e conservação das vias públicas, pelo fortalecimento das Escolinhas de Esportes e das Oficinas Culturais. Para continuar fazendo a nossa Educação ser referência. Para executar as obras escolhidas pela população no Orçamento Participativo. E, ainda mais neste momento de pandemia, para que a nossa rede municipal de Saúde continue estruturada e salvando vidas. Esse é o nosso principal desafio neste momento, até que uma vacina para a Covid-19 seja aprovada e imunize a população. Todo o trabalho da Secretaria de Saúde nesta pandemia é exemplar, com destaque até internacional. Agradeço muito a todos os servidores que estão na linha de frente e irão continuar salvando vidas até que a pandemia termine”.

O Imparcial: Como você pretende lidar com a dívida do município que chega próxima de R$ 500 milhões?

Edinho: “Da mesma forma que eu lidei desde o início da atual gestão: com muita responsabilidade. Quando assumi a Prefeitura, eram quase R$ 200 milhões em dívida tributária e R$ 80 milhões com fornecedores. Nós renegociamos contratos, diminuímos sete secretarias, reduzimos 147 cargos comissionados. Nossas licitações chegaram a economizar 40% em 2018. Equacionamos a dívida e recuperamos a credibilidade da cidade. Investimos R$ 60 milhões em obras do Orçamento Participativo, recuperamos as equipes de zeladoria, de tapa-buracos e recapeamento. Araraquara, hoje, tem condições de apresentar projetos para financiamento. Parte desses R$ 500 milhões que estão sendo tratados como dívida, na verdade, é um financiamento para a troca de toda a iluminação de Araraquara, que será 100% LED. É uma cidade mais bonita, segura e gastando menos energia elétrica. Isso não é dívida, é investimento no futuro. E a Prefeitura não conseguiria esse financiamento junto aos bancos se não estivesse com as contas equilibradas”.

O Imparcial: A proposta de mudança de regime de CLT para Estatutário para os servidores públicos deve trazer muitos embates entre o Executivo e os representantes da categoria. Você entende que esse é melhor caminho para os dois lados?

Edinho: “O melhor caminho para todos é sempre o diálogo. Esse é um debate que tem que ser feito e tem que ser feito com responsabilidade, sem extremismos. Há muitas inverdades que precisam ser desmistificadas sobre este tema. Nós estamos estudando o regime jurídico de servidores de cidades do mesmo porte de Araraquara e verificamos que o nosso município ainda é um dos poucos que mantém o regime celetista. O regime Estatutário é o adotado, inclusive, pelos governos estadual e federal. O servidor não perde qualquer benefício com o regime estatutário, ao contrário, ele ganha, pois este garante flexibilidade, espaço para valorização funcional e muitas conquistas de direitos que hoje são absolutamente engessadas pelo regime CLT. Hoje, os servidores de Araraquara estão submetidos às leis trabalhistas federais, as quais, estamos vendo a olhos nus, que estão passando por reformas com destituição de direitos. Portanto, é um debate que precisa ser feito”.

O Imparcial: Como você se vê sendo o prefeito com maior tempo à frente da Prefeitura de Araraquara?

Edinho: “Eu só posso agradecer à população de Araraquara por confiar em mim a oportunidade de iniciar o quarto mandato à frente da Prefeitura em 1º de janeiro. Estar nessa lista ao lado de figuras públicas como o ex-prefeito Waldemar De Santi, que governou a cidade por três vezes, é motivo de muita honra para mim. Eu amo Araraquara, penso no melhor para Araraquara durante todo o tempo, inclusive quando estive fora da cidade para ser deputado estadual e ministro da Comunicação Social. Eu sempre lutei muito para que Araraquara seja uma cidade cada vez mais humana, inclusiva, com muita justiça social e desenvolvimento econômico”.

O Imparcial: O que você acha que te levou a conquistar a maioria dos votos do araraquarense pela quarta vez?

Edinho: “Nosso projeto defende a vida, a geração de empregos e a construção de uma cidade que seja justa, igualitária e que gere oportunidades. Já mostramos isso nos últimos quatro anos e mostraremos no próximo mandato. Precisamos nos preparar para os desafios do pós-pandemia, principalmente na área de empregos e de assistência social. E, para isso, é preciso experiência na gestão pública. Já fui vereador por oito anos, sou prefeito pelo terceiro mandato, fui deputado estadual e ministro. O povo de Araraquara me conhece. Por isso, acredito que a população confiou na nossa candidatura e escolheu a permanência do nosso trabalho”.

O Imparcial: Com a nova composição da Câmara Municipal com vários vereadores de partidos de direita alinhados ao Bolsonarismo, você acha que vai enfrentar uma oposição muito forte neste próximo mandato? Como isso pode atrapalhar a atuação do Executivo para colocar em prática projetos importantes para o município?

Edinho: “Acredito que a política é construída com muito diálogo. Sempre dialoguei muito com a Câmara Municipal desde meu primeiro mandato, iniciado em 2001, e desta vez não será diferente. Sempre que os projetos vão para o Legislativo, nunca tive dificuldade de reunir os vereadores e explicar os detalhes da proposta, solucionar todas as dúvidas. E nossos projetos sempre foram aprovados. Independentemente de situação ou oposição, o que está acima de tudo é Araraquara, são as políticas públicas para o desenvolvimento de Araraquara. Tenho certeza de que todos os novos vereadores eleitos colocarão os interesses da cidade em primeiro plano. De minha parte, estou aberto para dialogar e buscar o melhor para Araraquara”.

O Imparcial: Muito se falou em pós-pandemia durante a campanha eleitoral deste ano, mas o que há de concreto para a geração de empregos e apoio aos empresários atingidos pela pandemia para 2021?

Edinho: “São três eixos principais: atração de novos investimentos, recuperação das empresas locais e fomento aos programas sociais que oferecem oportunidade no mercado de trabalho. Com essas três ações, podemos amenizar o problema do desemprego no município. Infelizmente, essa foi uma consequência do combate à pandemia em todo o mundo, por causa do isolamento social e da queda da atividade econômica. Mas estamos trabalhando nesse sentido. Já anunciamos o M10 Outlet Mall, investimento de R$ 400 milhões, também estamos perto de fechar com a cervejaria Estrella Galícia. Estamos atraindo investimentos. E nós também vamos continuar dialogando muito com os sindicatos e as entidades que representam os setores econômicos de Araraquara para que as nossas empresas sejam apoiadas neste momento muito complicado da nossa economia”.

O Imparcial: A sua vitória nas urnas foi a vitória da esperança sobre o ódio?

Edinho: “Foi a vitória da campanha que mostrou todo o trabalho desenvolvido nos últimos quatro anos e que apresentou propostas para o próximo mandato. Sem ataques, sem ofensas pessoais, sem intolerância, sem criar fake news. O eleitor soube analisar todos os candidatos e escolheu a continuidade do nosso trabalho. Mais uma vez, só posso agradecer a cada araraquarense que confiou em toda a nossa equipe. Tenham certeza de que trabalharei muito para melhorar a qualidade de vida de cada morador de Araraquara, tendo ele votado em mim ou não”, finalizou Edinho.