Deputada Márcia Lia (PT) agradece líder do governo pela abertura de leitos em Araraquara

Márcia Lia (PT) está engajada em vários projetos na Assembleia Legislativa

141

Márcia Lia agradece líder do governo pela abertura de leitos em Araraquara
Deputada ressalta a importância de o governo atender prontamente a esta demanda da cidade, que é polo regional, com mais 70 leitos

A deputada estadual Márcia Lia agradeceu, na manhã desta terça-feira, a abertura de novos leitos de UTI em Araraquara, medida anunciada pelo governo do Estado ontem. A parlamentar vinha articulando novos leitos para a cidade com a liderança do governo na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp). O prefeito Edinho também solicitou auxílio ao governador João Dória diante do agravamento da situação na cidade.
“Conversamos no sábado com a liderança do governo na Alesp, o deputado Carlão Pignatari, e pedimos atenção para a necessidade de mais leitos em Araraquara, que é referência para a região e está sobrecarregada”, afirma a deputada, que propôs inúmeras medidas emergenciais de apoio aos trabalhadores e agricultores familiares no período de pandemia, muitas delas aprovadas pelos parlamentares e governo do Estado.
Na manhã desta terça-feira os secretários de Estado de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, e da Saúde, Jean Gorinchteyn, visitaram o Hospital de Campanha de Araraquara para anunciar as ações do governo no combate à pandemia e ao enfrentamento da mutação do coronavírus encontrada na cidade. No total serão 70 novos leitos: 30 leitos de suporte respiratório (de ventilação) no Hospital de Solidariedade, dez leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 30 leitos de enfermaria. No total, a região terá 95 novos leitos.
Hoje, Araraquara tem 12.434 casos confirmados, dos quais 973 pessoas ainda permanecem em quarentena e 11.308 já saíram. Vale ressaltar que a cidade foi a primeira no Estado a detectar a presença da mutação do novo Coronavírus encontrada em Manaus, a P-1. Essa nova cepa tem potencial de contaminação mais forte e atinge os mais jovens com maior gravidade.
“O momento é delicadíssimo em todo o Estado, e Araraquara vive agora seu pior momento desde o início da pandemia. Acertadamente, o Hospital de Campanha não foi desativado pelo prefeito Edinho, como ocorreu em São Paulo e outros locais. Agora é hora de todos termos cuidados redobrados. Apesar dos novos leitos, precisamos evitar o aumento no número de casos para não corrermos o risco de nova sobrecarga do sistema de saúde da cidade”, alerta da deputada.
Projetos
A deputada estadual Márcia Lia teve seis emendas de sua autoria inseridas no projeto de lei 350/2020, de autoria coletiva, que propõe medidas emergenciais para o enfrentamento à pandemia do coronavírus no Estado de São Paulo. O projeto foi aprovado em junho de 2020.
O artigo 3º autoriza a suspensão dos prazos de validade de concursos públicos já homologados na data da publicação do Decreto n.º 64.879, de 20 de março de 2020, enquanto perdurar o estado de calamidade pública no Estado de São Paulo.
O artigo 23 autoriza a concessão de auxílio emergencial às mulheres vítimas de violência doméstica – inclusive as mulheres transexuais – no valor mensal de R$ 300.
Já o artigo 27, do qual é coautora, institui o Programa de Auxílio Emergencial para Trabalhadores do Setor Cultural e para Espaços Culturais e beneficia trabalhadores do setor cultural que tenham perdido sua renda em razão da pandemia.
No artigo 28, Márcia Lia propõe a criação de linhas de crédito e microcrédito emergenciais por meio do Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (FEAP), do Governo do Estado, para agricultores familiares, pequenos produtores, pescadores artesanais, assentados, populações indígenas e quilombolas, suas cooperativas e associações, como incentivo à recuperação e elevação da sua capacidade de produção de alimentos.
Em outra propositura aprovada pelo Governo do Estado, o artigo 30 autoriza o Governo do Estado a adotar providências junto às concessionárias de distribuição de água, luz e gás e de tratamento de esgoto para impedir a suspensão desses serviços por inadimplência dos usuários durante o período da pandemia.
Por fim, o artigo 33 estabelece punição de multa no valor de 20 a 200 Unidades Fiscais do Estado de São Paulo para quem divulgar informação ou notícia falsa – as chamadas fake news – sobre o Covid-19 e a pandemia em qualquer meio.