Com resultado acima da média nacional, Santa Casa desmobiliza leitos de UTI Covid-19 SUS

Índice de mortalidade em UTI do hospital foi 10,1% menor do que média brasileira e 37,8% menor do que média de hospitais públicos

17

Com o encerramento das atividades da Unidade Respiratória de Combate ao Coronavírus da Santa Casa de Araraquara, composta por 12 leitos de enfermaria e 10 leitos de UTI, em decisão conjunta com o Departamento Regional de Saúde (DRS III Araraquara) e a Secretaria Municipal de Saúde de Araraquara, o hospital avaliou sua participação até aqui no enfrentamento à Covid-19, causada pelo Sars-Cov2 ou novo coronavírus.

Desde a inauguração da unidade, em março de 2020, foram encaminhados à Santa Casa mais de mil pacientes, dos quais 414 precisaram de internação na UTI Covid-19 SUS. Foram registradas 136 mortes, equivalente a 32,9% de óbitos por passagem pela UTI.

O índice é 10,1% inferior à média total do país e 37,8% inferior à média de mortalidade após internação em UTIs de hospitais públicos brasileiros. De acordo com dados compilados pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib) em matéria veiculada pela CNN Brasil em abril, 36,6% dos pacientes internados em UTI evoluíram a óbito. A letalidade foi maior nos hospitais públicos (52,9%) em relação aos hospitais privados (29,7%).

Apesar de ser um hospital privado filantrópico, que pode destinar até 60% de sua capacidade para o atendimento SUS, a Santa Casa de Araraquara tem mais de 90% de sua produção voltada para o sistema público, daí a comparação.

Para o coordenador da UTI da Santa Casa, Renato Noffs Gilio, a eficiência vem da combinação entre a ótima estrutura do hospital – formada por equipamentos de ponta, equipe multidisciplinar com profissionais capacitados e dedicados e disponibilidade de medicamentos –, com processos protocolares para o tratamento de Covid-19.

“Todas as condutas estavam baseadas em evidências médico-científicas, não usamos medicações sem eficácia comprovada pela literatura médica, a horizontalidade da UTI também foi relevante, nesse modelo de gestão o acompanhamento dos pacientes não se perde, mantivemos os planos rigorosamente, houve pacientes que precisaram ser pronados [manobra para mudança de posição] todos os dias, essa técnica exige cuidados”,

elenca Gilio. “O engajamento de toda a equipe multiprofissional, médicos, fisioterapeutas, enfermeiros, técnicos de enfermagem, farmacêuticos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, nutricionistas e demais membros, contribuiu diretamente para os bons resultados obtidos”, prossegue.

“Enfim, trata-se de uma sequência de fatores”, resume o médico intensivista.

Apoio da sociedade, coragem dos médicos e colaboradores e futuro dos leitos de UTI Covid-19

O diretor-geral da Santa Casa de Araraquara, Rogério Bartkevicius, afirma que o atendimento realizado na ala específica para Covid-19 só foi possível devido à ajuda da sociedade. A campanha #EspalhandoSolidariedade arrecadou recursos para a montagem dos 22 leitos da Unidade Respiratória.

“Já atuei fazendo gestão de hospitais em diversas cidades do Brasil, mas em termos de espalhar solidariedade, Araraquara é especial”, comenta Bartkevicius. “Empresas de grande, médio e pequeno porte, pessoas de diferentes classes sociais, cada um ajudou como conseguiu, nós sabemos que diversos setores foram afetados economicamente, mas foi impressionante a adesão à campanha #EspalhandoSolidariedade”, ressalta.

Além do apoio da comunidade, Bartkevicius destacou a coragem dos médicos e colaboradores do hospital. “São profissionais que estão na linha de frente desde o início, a vacinação só ocorreu em janeiro de 2021, gente comprometida que fez valer o propósito da Santa Casa: salvar vidas”, enfatiza.

O diretor-geral lembrou que durante todo período de atendimento a pacientes acometidos por Covid-19, 448 dias, não houve internações, nem óbitos, entre os colaboradores do hospital.

Sobre o futuro dos dez leitos de UTI Covid-19 SUS, o diretor-geral, primeiro, salienta que a pandemia ainda não acabou, pedindo que as medidas de prevenção, como o uso de máscaras e de higienização constante das mãos, sigam sendo cumpridas, e na sequência explica que a Santa Casa quer transformá-los em leitos de UTI Geral.

“A instituição está em tratativas junto aos gestores SUS para a conversão e habilitação dos leitos de UTI Covid-19 para leitos de UTI Geral”, diz. “O objetivo da diretoria sempre foi usar todo o legado aportado pela sociedade e investido no enfrentamento à pandemia para o atendimento de outros casos de alta complexidade”, completa.