Com queda no atendimento, UPA da Vila Xavier será reestruturada

Tenda da área externa será retirada, porém estrutura original da UPA seguirá recebendo suspeitos de coronavírus

39

A UPA da Vila Xavier continua sendo o polo de triagem para casos suspeitos de Covid-19 em Araraquara. Nesta semana, porém, com a queda acentuada na procura de pacientes por causa dos efeitos da vacinação, a Prefeitura irá otimizar recursos e reestruturar a unidade.
A tenda instalada na área externa, desde o início da pandemia, será readequada. As cadeiras instaladas no local, que já estiveram lotadas de pacientes em alguns momentos da crise sanitária, atualmente estão praticamente vazias. Também não há necessidade de se manter o funcionamento dos três consultórios extras montados na estrutura da tenda, avaliam a Secretaria de Saúde e a Fungota, fundação municipal que administra a unidade.
Após a reestruturação, os atendimentos de Covid-19 continuarão normalmente no prédio original da UPA, que tem capacidade de até 250 atendimentos diários e possui três consultórios, salas de observação e salas de urgência e emergência. Esse limite de atendimentos diários não está sendo atingido nas últimas semanas.
Neste mês de setembro, até domingo (19 dias), a média de atendimentos foi de 117 pacientes diários, segundo informações da Fungota. Esse índice já foi de 180 atendimentos diários em agosto, 209 em julho e 276 em junho, durante a chamada ‘segunda onda’ da doença.
Nos 28 dias de fevereiro deste ano, no pior momento da pandemia em Araraquara, foram 300 atendimentos diários em média (156% a mais que os atendimentos feitos atualmente).
Devido a essa redução na procura de pacientes por atendimento, a UPA da Vila Xavier passará por readequação de sua estrutura para a nova realidade da pandemia, otimizando recursos e reforçando o investimento em outras áreas dentro da Saúde, como cirurgias eletivas que estão represadas.
“Existe hoje um controle maior sobre a pandemia. Por isso, a Prefeitura vai começar a otimizar seus recursos. Até agosto, a Prefeitura havia empenhado R$ 65,5 milhões na pandemia neste ano, sendo R$ 46 milhões de recursos próprios da Prefeitura. Como a pandemia está sob controle e estamos conseguindo fazer uma gestão da pandemia, é necessário que nós comecemos a direcionar nossos recursos para outras demandas, como enfrentar a fila de diagnóstico, de cirurgia eletiva. Tudo isso ficou parado, porque toda a estrutura hospitalar e de laboratórios foi direcionada para a pandemia”, explicou o prefeito Edinho nas redes sociais.
Nessa segunda-feira (20), Edinho visitou a UPA da Vila Xavier acompanhado da secretária de Saúde, Eliana Honain, e da diretora executiva da Fungota, Lúcia Ortiz, além da diretora técnica da Fungota, Emanuelle Laurenti, da gestora da UPA da Vila Xavier, Daniela Cândido, e das equipes de enfermagem da unidade.
“Vamos, nesta semana, começar a desmontar essa estrutura [da tenda]. É uma estrutura que gera custeio. Mas a UPA da Vila Xavier não vai deixar de atender a pandemia. Aqui continuará sendo nosso centro de referência para a pandemia. Quem tiver sintomas deve vir para cá e nós continuaremos atendendo”, reforçou o prefeito.
Nesta segunda-feira, 18 pacientes estão internados em Araraquara com a Covid-19, número que já chegou a 247 em fevereiro, no pior momento da pandemia. A média móvel de 35 novos casos diários está 81% abaixo dos 189 casos de 21 de fevereiro, maior índice registrado.
Até a tarde desta segunda-feira, 192.655 araraquarenses já haviam tomado a 1ª dose da vacina contra a Covid-19, ou seja, 80,83% da população. Mais da metade dos moradores (53,10%) já estão totalmente imunizados, pois 120.486 pessoas receberam a 2ª dose e 6.063 tomaram vacina de dose única. Outras 959 araraquarenses receberam a 3ª dose/dose adicional. Ao todo, são 320.163 doses de vacinas já aplicadas no município.