Cesta básica segue mais cara em Araraquara

Segundo análise do Núcleo de Economia do Sincomercio, aumento é registrado na cidade pela quarta vez consecutiva

10

O valor médio da cesta básica araraquarense apresentou alta pelo quarto mês consecutivo, segundo levantamento do Núcleo de Economia do Sincomercio. De acordo com a pesquisa, o consumidor que, em maio de 2021, desembolsava R$ 801,17 para adquirir todos os itens que compõem a cesta avaliada, atualmente investe R$ 806,61, ou seja, R$ 5,44 a mais.

Considerando o preço médio dos 32 itens analisados, em junho, 19 apresentaram alta, enquanto 13 registraram redução. Na categoria de alimentação, a elevação atingiu 16 dos 23 itens; na de limpeza doméstica, um dos quatro itens; e na de higiene pessoal, dois dos cinco itens que compõem o grupo tiveram aumento. Por outro lado, as reduções de preço foram observadas em cinco produtos do grupo de alimentos, em três itens de limpeza doméstica e em três produtos do grupo de higiene pessoal.

Os alimentos que apresentaram as maiores altas de preço foram: queijo muçarela (11,03%), batata (9,95%), biscoito Maisena (8,75%), linguiça fresca (6,63%) e açúcar refinado (5,83%). Já os produtos que apresentaram queda foram: cebola (-25,97%), detergente (-12,37%), farinha de mandioca torrada (-9,92%), ovos brancos (-4,65%) e água sanitária (-4,22%).

Para Marcelo Cossalter, pesquisador do Núcleo de Economia do Sincomercio Araraquara, a alta no mês de junho está associada à elevação nos preços que possuem maior participação, considerando o conjunto de itens, sobretudo, nos alimentos. “Ainda que tenha sido registrada parcial estabilidade entre alguns produtos de maior peso, como o arroz branco e o contrafilé, a alta observada em outros foi superior, pressionando o valor médio da cesta”, explica.